Carregando...
 
 
Brasília-DF, 01 de Fevereiro de 2006. Ano 2
Hoje
FEVEREIRO/2006
D S T Q Q S S
1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28
Total de 33219 notícias

Alta do álcool nas usinas de SP chega a 7,5%
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 13:55:44



Da AE

O preço do álcool combustível subiu mais de 7% nas usinas de São Paulo, Estado responsável por 75% da produção nacional, segundo levantamento feito entre os dias 20 e 24 de fevereiro pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da USP (Universidade de São Paulo).

Descontados os impostos, o litro do álcool hidratado subiu 7,5%, passando de R$ 1,07 na semana anterior (13 a 17/02) para R$ 1,15 na semana passada. Já o litro do álcool anidro pulou de R$ 1,07 para R$ 1,14 no mesmo período.

O aumento se deu ao mesmo tempo em que o governo anunciou a redução da mistura do porcentual de álcool anidro na gasolina (de 25% para 20%) com o objetivo de conter o consumo e a conseqüente alta do preço do álcool nas bombas. Mas a mistura ainda não pôde ser sentida, de acordo com a pesquisadora Eloísa Burnquist, do Cepea. “Os reflexos serão sentidos talvez a partir da próxima semana, pois a medida começa a valer a partir de 1º de março”, disse.

A pesquisadora afirmou que a alta se deve, entre outros fatores, a uma demanda reprimida causada pelo acordo de preços entre usineiros e governo. “Houve pressão de mercado durante os 40 dias do acordo e agora essa pressão acabou”, explicou.

Segundo Eloísa, outra causa do aumento do preço do álcool nas destilarias foi uma corrida das distribuidoras às compras para fazer estoques para março, além da pressão de preços formada pelas viagens do Carnaval.

No entanto, segundo a pesquisadora, embora seja uma das mais elevadas da série semanal do Cepea na entressafra deste ano, essa alta pode ter sua trajetória encerrada em breve. Isso porque a expectativa é de que o preço deve recuar gradativamente nas próximas semanas, especialmente por conta do início da safra 2006/2007, que será aberta amanhã no Estado do Paraná e deverá disponibilizar 850 milhões de litros de álcool até abril, de acordo com a Unica (União da Agroindústria Canavieira do Estado de São Paulo).

Na opinião da pesquisadora, as informações sobre uma redução do volume de álcool entregue pelas distribuidoras ao varejo foram pontuais, por isso, não há risco de desabastecimento. Para ela, a redução do índice de mistura serve muito mais para garantir o abastecimento durante a entressafra do que evitar uma elevação de preços nas bombas. “Para que isso ocorra, o dono de carro flex tem de abastecer com gasolina. Ele tem de pensar que comprou um carro bicombustível e não um carro a álcool”, afirmou.



Império de Casa Verde é bicampeã em SP; Gaviões fica em último
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 13:53:58


A escola de samba Império de Casa Verde é bicampeã do Carnaval de São Paulo. Numa disputa bastante apertada, ela superou a Vai-Vai no quesito evolução — apesar de obterem a mesma pontuação (298,25) — e, pelo segundo ano seguido, levou o título do Grupo Especial. Na outra ponta, a Gaviões da Fiel amargou a última colocação (com 283,25 pontos) e caiu para o Grupo de Acesso. Também foram rebaixadas as escolas Leandro de Itaquera, Acadêmicos do Tatuapé e Camisa Verde e Branco.

A Império passou pelo Sambódromo de São Paulo na primeira noite de desfiles. Com o enredo "Do boi mítico ao boi real - De Garcia D' Àvila na Bahia ao Nelore - O boi que come capim - A saga da pecuária no Brasil para o mundo", a escola destacou a importância do boi na história da civilização. Os carros grandiosos e as fantasias luxuosas foram o destaque da apresentação da Império.

A apuração do Carnaval de São Paulo, que ocorreu na manhã desta terça-feira no Sambódromo do Anhembi, foi bastante acirrada. Apenas nos últimos votos do último jurado foi possível conhecer a campeã. Até então, tinham passado pela primeira colocação a Mocidade Alegre (que terminou na terceira posição), Unidos de Vila Maria (quarta) e Rosas de Ouro (quinta).



TSE decide regras eleitorais na quinta
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:38:18



A oito meses das eleições, o Tribunal superior Eleitoral (TSE) e o Congresso Nacional ainda analisam as regras para as campanhas eleitorais. Na próxima quinta-feira, o TSE define normas para totalização de votos, divulgação de resultados, fiscalização, voto no exterior, escolha e registro de candidatos, propagandas e pesquisas eleitorais. Com informações da assessoria de imprensa do TSE.
Na semana passada, o tribunal decidiu que o vice-governador poderá concorrer à reeleição nas eleições de outubro mesmo se estiver ocupando interinamente o cargo de governador de Estado seis meses antes do pleito. A decisão foi em resposta a uma consulta feita pelo deputado Edson Bez de Oliveira (PMDB-SC).
O calendário eleitoral prevê que as convenções partidárias para definir os candidatos e as coligações terão que ser realizadas até 30 de junho. O prazo para o registro das candidaturas no TSE é até às 19 horas do dia 5 de julho. A partir de 6 de julho já será permitida a propaganda eleitoral. No rádio e na televisão, os programas partidários terão início em 15 de agosto e terminam em 28 de setembro.
O Congresso também aprovou projeto que cria uma série de restrições aos candidatos nas eleições de outubro. Estão proibidos, por exemplo, os “showmícios”, distribuição de brindes (camisetas, bonés, chaveiros, entre outros) por parte dos candidatos, utilização de trio elétrico que tenha mais de 1.500 watts de potência, anúncios pagos em jornais, utilização de telemarketing e painéis públicos (outdoors) para campanhas de deputados.
Uma comissão especial da Câmara analisa elaboração de um projeto que estabelecerá o teto máximo dos gastos dos candidatos com campanhas eleitorais. Os gastos levarão em conta as peculiaridades de cada região. A matéria tem que ser aprovada pelo Congresso até 10 de junho.
As limitações de gastos nas eleições deste ano prevê, ainda, a obrigação dos candidatos divulgarem na Internet as doações recebidas para suas campanhas. Isso terá que ser feito, segundo a lei, de 30 em 30 dias, a partir de 6 de agosto.
A proposta original, aprovada pelo Senado, previa uma prestação de contas praticamente em tempo real na Internet. A mudança feita permite que os candidatos façam apenas uma prestação de contas do que receberão de doações durante a campanha. A matéria aprovada pelo Congresso prevê, ainda, que a prestação de contas final não divulgará os nomes dos doadores.



Governistas do PMDB agirão contra prévias
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:29:28


Por Fernando Rodrigues, da Folha de S.Paulo


A ala governista do PMDB tentará, depois do Carnaval, inviabilizar o processo de prévias para escolher o candidato a presidente pelo partido. A escolha envolve cerca de 20 mil filiados e está marcada para o dia 19 de março.
Os governistas têm três estratégias para tentar melar a escolha: 1) promover uma enxurrada de ações na Justiça contestando os critérios do processo; 2) forçar alguns Estados a não realizarem a eleição do dia 19; e 3) lançar um terceiro nome para forçar a realização de um segundo turno.
Até o momento, inscreveram-se nas prévias do PMDB apenas o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, e o ex-governador do Rio Anthony Garotinho. O terceiro nome seria o do governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, que está no segundo mandato consecutivo e não pode concorrer ao mesmo cargo.
A entrada de Roriz na disputa se daria por meio de um "apelo" a ser feito a ele. Neste mês, o governador do Distrito Federal anunciou que não seria candidato a nada. É um teatro. Os governistas do PMDB pretendem organizar um evento no qual diriam que ele é imprescindível ao partido.
A idéia não é necessariamente ganhar as prévias com Roriz, mas levar a disputa a um segundo turno. Pelas regras do PMDB, um candidato só vence se obtiver pelo menos 50% mais um dos votos.
Se houver a necessidade de segundo turno, o ambiente ideal estará formado para que a cúpula governista do PMDB acabe embananando o processo de uma vez. Logo depois do dia 19, muitos filiados poderiam entrar na Justiça contestando o processo de votação, alegando fraudes. Esse movimento poderia causar um atraso no segundo turno, que está marcado para o dia 26 de março.
Nesse caso, o tempo começaria a se esgotar para Rigotto. É que, para ser candidato a presidente, o gaúcho precisa renunciar ao cargo de governador até 31 de março. Não pode correr o risco de abandonar o comando do Rio Grande do Sul e ficar sem legenda depois.


Clique aqui para ler mais (Só para assinantes da Folha de S.Paulo)



MP investigará grampos
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:24:30

Da Agência Estado

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal vão investigar a autoria de grampos ilegais no Distrito Federal. Promotores e procuradores suspeitam de que tenha sido montado um amplo esquema de escuta telefônica clandestino para bisbilhotar a vida de integrantes do governo, jornalistas e do Ministério Público local. Uma das vítimas das interceptações é a procuradora Cláudia Fernanda de Oliveira Pereira, do Tribunal de Contas do Distrito Federal, conforme reportagem da Tribuna do Brasil publicada com exclusividade há duas semanas.
Também provável alvo de escutas ilegais, o procurador regional da República Luiz Francisco Fernandes de Souza disse acreditar que existe no Distrito Federal uma verdadeira "grampolândia", uma estrutura criminosa para acompanhar os passos de quem investiga denúncias de corrupção da capital do País. Souza vai pedir ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, e à direção da Polícia Federal a abertura de uma ampla investigação para descobrir a origem dos grampos no Distrito Federal. "Assim como isso foi feito contra procuradores, pode ter atingido outras pessoas, como jornalistas ou outros integrantes do Ministério Público", afirmou Luiz Francisco.
Segundo o procurador, as gravações clandestinas das quais Cláudia Fernanda foi vítima possuem uma peculiaridade, se comparadas às outras interceptações ilegais: são extremamente claras e audíveis. "Precisamos de uma investigação contundente para acabar com a escuta clandestina política", afirmou.
Uma das mais atuantes procuradoras em Brasília, Cláudia Fernanda participou de vários grupos de investigação como representante do Ministério Público de Contas, muitas vezes em parceria com promotores de Justiça, sobre contratos sem licitação e suspeitas de desvios de recursos públicos. Ela integrou, por exemplo, a força-especial que apurou supostas irregularidades na área de saúde, junto com o Departamento de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) do Ministério da Saúde.
Nos últimos meses, Cláudia Fernanda tem colaborado com o grupo de trabalho do Ministério Público do Distrito Federal que investiga dispensa de licitações promovidas pelo Instituto Candango de Solidariedade (ICS). Não há, no entanto, prova de que as escutas tenham sido promovidas pelos acusados dessas investigações, muitos dos quais se tornaram réus em ações promovidas pelo Ministério Público.



Avestruz Master: fim do reinado de Jerson Maciel
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:18:37


Por HÉLMITON PRATEADO, do jornal Opção


O desfecho dado pelo juiz da 11ª vara cível de Goiânia, Carlos Magno Rocha da Silva, no processo de recuperação judicial da Avestruz Master pode ser interpretado como um prelúdio do que está por vir: a inevitável falência. O juiz afastou Jerson Maciel e toda a diretoria da administração da empresa e antecipou suas considerações sobre como eram aplicados os recursos captados entre os investidores.

Corajosamente, o juiz relatou na sentença que Jerson Maciel, sua família e sócios extrapolaram na aplicação do dinheiro que entrava no caixa da empresa e concluiu sustentando haver “veementes indícios de crime falimentar”, além de fortes suspeitas de desvio de uma montanha de dinheiro, sem explicação na contabilidade.

A decisão de afastamento foi tomada em uma petição apresentada pelo advogado Eduardo Antunes Scartezini, presidente da Associação Nacional dos Investidores da Avestruz Master (Anavestruz). “A tentativa de transferir a sede da empresa em março do ano passado para Bela Vista já era uma demonstração de que os responsáveis pela empresa planejavam aplicar o golpe da auto-falência. Entretanto, a empresa poderá continuar com suas atividades, gerando lucro para restituir os investidores, mas sem Jerson Maciel e companhia”, explicou.

Scartezini disse que a associação vai apresentar um plano alternativo de recuperação e que o assunto deverá ser discutido na assembléia de credores. “Será um plano elaborado sobre bases científicas, para que uma administração profissional recupere a empresa e faça o ressarcimento para todos os investidores, e não uma coisa que contemple os interesses da família Maciel.”

Dolo — O juiz Carlos Magno foi duro quando avaliou as suspeitas que pesam contra Jerson Maciel e seus sócios. “Existindo indícios veementes da prática de crime falimentar pelo devedor e evidenciado que ele agiu com dolo, simulação ou fraude contra os interesses de seus credores, já que teria simulado a compra de 103 milhões de reais em avestruzes em novembro de 2004, distribuiu lucros fictícios no valor de 6,9 milhões de reais e movimentou recursos sem contabilização (caixa 2), além da absoluta falta de credibilidade dos atuais administradores, destituo todos os sócios ou acionistas da Avestruz Master Agro Comercial Ltda. da administração das atividades da referida empresa”, sentenciou.

Não bastasse o inquérito da Polícia Federal, o juiz soube também que Jerson Maciel omitia todos os seus rendimentos da Receita Federal, conforme reportagem exclusiva do Jornal Opção. Na matéria veiculada no final de dezembro do ano passado, o Jornal Opção noticiou que o empresário Jerson Maciel da Silva era considerado pela Receita Federal de uma pobreza franciscana até o ano de 2003. Em sua declaração de renda, feita pela Internet, ele contou à Receita que teve como rendimentos tributáveis recebidos como pessoa física a modesta quantia de 18 mil reais. Com as deduções possíveis a um trabalhador comum, que recebe no máximo 1,5 mil reais por mês de trabalho árduo, Jerson chegou ao cálculo de 12.004,35 reais ao final do ano, valor com o desconto do 13º salário. As declarações de renda a que o Jornal Opção teve acesso com exclusividade indicam também a evolução patrimonial de suas duas filhas e alguns sócios de Jerson.

Em 2005, depois de sair do rendimento proletário de dois anos antes, Jerson Maciel tornou-se o feliz proprietário de caminhonete cabine dupla a diesel, carro Mercedes ML 320, uma fazenda em Porto Nacional (TO) no valor de 1,4 milhão, um automóvel Cadilac que vale 80 mil reais e outro da marca Toyota, modelo Corola, blindado.

Como ficaria difícil justificar para a Receita Federal ganhos tão vultosos em um tempo exíguo, Jerson Maciel relatou candidamente que toda essa evolução foi fruto de “lucros e dividendos recebidos” no valor de 8,3 milhões. Onde ele teve tantos lucros e dividendos? A resposta dada à Receita foi que ganhou dinheiro na atividade rural. Onde? Fazenda Vargem Grande, em Bela Vista de Goiás, cujo valor declarado é de 133 mil reais, com extensão de 256,5 hectares.

As filhas de Jerson, Patrícia Áurea e Elizabete Helena, também saíram da condição de “pobres de dar dó”, conforme declararam no ano de 2003, para a uma situação mais, digamos, remediada. Nada que se compare aos milhões conseguidos pelo pai na “atividade rural”.



Novo jornal no DF
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:16:02


Brasília terá um novo jornal a partir do próximo mês de março. Trata-se do diário popular "Aqui-DF", que irá disputar mercado com o jornal "Coletivo", do grupo Comunidade, cujo presidente é o jornalista Ronaldo Junqueira. Ele também tem planos para enfrentar o novo
veículo, mas faz segredo. O novo jornal pertence ao Condomínios Associados. A tiragem incial será de 50 mil exemplares. A redação vai funcionar na sede do Correio Braziliense. O editor-chefe é o jornalista Leonardo Albuquerque. O projeto vem sendo adiado desde que o jornalista Ricardo Noblat era o diretor de redação do Correio Braziliense.



Garotinho diz que Renan e Sarney não têm maioria no PMDB
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:07:47



Fábio Vasconcellos - O Globo

O ex-governador Anthony Garotinho disse nesta segunda-feira que vai pedir ao presidente do PMDB, Michel Temer, que contrate um advogado para defender o partido caso alguém recorra à Justiça para evitar a realização das prévias para a definição dos candidatos à Presidência da República pela legenda.

Segundo Garotinho, a decisão foi tomada em conjunto com o governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, no encontro nesta segunda-feira de manhã no Palácio Guanabara.

- Eu e Rigotto achamos melhor pedir ao Michel Temer que contrate advogado porque tem um grupo de pessoas que pode tentar alguma medida judicial para prorrogar as prévias.

Perguntado sobre como vai conseguir convencer os caciques do partido, os senadores Renan Calheiros e José Sarney, Garotinho foi enfático:

- Os senadores Renan Calheiros e José Sarney são pessoas importantes mas não têm maioria no partido. Tanto é que cogitam entrar no Justiça contra as prévias. Será que são caciques sem índios? - indagou Garotinho.



Interno do Caje custa 38 vezes mais do que aluno
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 05:05:15


Cada menor infrator consome R$ 4.563,91 mensais enquanto na rede pública o governo investe R$ 120. Na UnB, o aluno custa R$ 1.245

Apesar de todo o esforço para ressocializar os jovens infratores no DF, o alto índice de reincidência, cerca de 79%, faz com que esse trabalho fique muito aquém do esperado pelo governo e pela própria sociedade. São investidos mensalmente R$ 4.563,91 em cada jovem infrator internado no Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje), dinheiro utilizado para custear despesas com refeições balanceadas, oficinas profissionalizantes, atividades esportivas e escolares durante todo o dia, além de tratamentos psicológico, psiquiátrico e terapêutico. Mas isso não basta para tirar esses jovens do mundo do crime.
O interno do Caje custa 38 vezes mais do que um aluno da rede pública do DF, em quem o governo investe R$ 120 por mês. Se se soma os gastos em toda a rede de ensino (educação infantil e superior e ensinos Fundamental e Médio), o gasto médio do governo sobe para R$ 159,5, em média, com cada aluno. Aí a relação com o Caje cai, mesmo assim a diferença ainda é absurdamente alta: o interno do Caje custa 28 vezes mais.

Clique aqui para ler mais



Apoio para Corumba III
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 04:59:52


Deusmar Barreto, do Diário da Manhã
Enviado Especial a Moscou


Os russos vão participar da construção da Usina de Corumbá III, em conjunto com a Celg e a Companhia Energética de Brasília (CEB), anunciou ontem em Moscou o governador Marconi Perillo. Os detalhes da cooperação estão em estudo. A estatal goiana vai investir R$ 43 milhões na hidrelétrica que será erguida no município de Luziânia. Isso corresponde a 15% do empreendimento, que terá uma potência instalada de 93,6 MW (duas unidades geradoras de 46,8 MW), suficiente para abastecer um município do porte de Anápolis. O custo total da obra, prevista para ser concluída em dois anos e meio, será de R$ 290 milhões. A área que será inundada é de 77,42 km².

Trata-se do primeiro resultado concreto da missão goiana ao país do presidente Vladimir Putin. A revelação da presença russa em parceria no setor energético foi feita durante o seminário Oportunidades de Negócios Brasil-Rússia, a vitrine que abre as conversações na área comercial entre empresários e dirigentes governamentais dos dois países. O governador Marconi Perillo arrebatou a platéia de cerca de 80 participantes que se deslocou ontem ao Salão Petroviski do Hotel Le Royal Meredien National, no coração de Moscou, ao apresentar as potencialidades de um Estado considerado surpreendente. “A nova ordem econômica mundial não deve ser pautada pela concorrência, mas pela parceria”, disse ele diante de poderosos investidores locais. “Uma grande cooperação naturalmente será capaz de produzir grandes resultados.”

Foram 53 representantes de grandes corporações da Rússia que se dispuseram a conhecer Goiás. Somente uma das holdings que participou do evento coordena 73 empresas. O resultado da primeira rodada de contatos é considerado um sucesso. De imediato, nas negociações entre empresários, pelo menos duas corporações russas manifestaram interesse em importar café solúvel, informa Wilson de Oliveira, da Café Rancheiro Agroindustrial: a STF Trading Ltd., representada pelo seu diretor Andrey Shishkov, e a Grand Tea&Coffee, cujas conversações foram coordenadas pelo seu executivo do Departamento de Negócios, Vladimir V. Vassilkov.

A perspectiva de resultados imediatos foi expressa pelo próprio governador durante a palestra. “Não viemos oferecer propostas de longo prazo ou uma visão futurista dos negócios”, alertou logo no início para imprimir o tom de determinação para o intercâmbio comercial que marca a missão goiana a Moscou.

“Temos mercados com características de interesse mútuo e sabemos que um negócio só é bom quando ganhamos juntos.” O governador fez uma ampla abordagem das características do Estado através de modernas tecnologias de comunicação. Esse profissionalismo impressionou os convidados.



Dirceu vai recorrer ao STF
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 04:57:24


O ex-deputado federal José Dirceu (PT-SP) vai protocolar no STF, até o dia 15 de março, um recurso para tentar reaver o mandato, cassado pela Câmara Federal em dezembro de 2005. A informação é do blog do jornalista Josias de Souza, da Folha de S.Paulo. O advogado do ex-deputado, José Luiz Oliveira Lima, que está de férias nos Estados Unidos, concluiu o texto e retorna no próximos dias ao Brasil para dar últimos retoques antes de protocolar o recurso no Supremo.

De Cuba, onde passa o feriado de carnaval, Dirceu deu sinal verde a José Luiz, mas já tinha autorizado o advogado a consultar juristas de renome acerca das chances de êxito do recurso. Estava, porém, em dúvida quanto à conveniência da ação.

Na entrevista que dera no dia seguinte à cassação, Dirceu dissera que não recorreria mais ao Judiciário. Mudou de idéia. Está agora convencido de que tem chances de anular a sua cassação. No texto do recurso, o advogado Oliveira Lima faz um histórico do julgamento de seu cliente na Câmara.

Em determinado trecho, o advogado lembra que, ao autorizar a Câmara a dar seqüência ao julgamento de Dirceu, o STF ordenou que fosse retirado do processo contra o então deputado um dos depoimentos que havia sido colhido pelo Conselho de Ética: o da presidente do Banco Rural Kátia Rabelo.



Galinho de Brasília reúne 20 mil foliões na despedida do carnaval 2006
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 00:42:00


Do CorreioWeb


Na despedida do carnaval 2006, o Galinho de Brasília arrebanhou 20 mil pessoas nesta segunda-feira. Nem a chuva foi capaz de desanimar os foliões, que este ano comemoraram os 15 anos de criação do bloco. Após a concentração – realizada nas entrequadras 203/204 Sul –, os participantes abriram caminho para a diversão ao som das tradicionais marchinhas. Mas também havia espaço para funk, trance e samba.

O diretor executivo do bloco, Franklin Marciel, atribui o sucesso da festa à presença de famílias inteiras. “No nosso carnaval não há problema algum em trazer os filhos”, afirma. E crianças não faltaram na Comercial da Asa Sul. Fantasiados, os filhos da assistente social Silvane Bordin, 39 anos, dançavam e brincavam com um dos sprays de espuma que divertiram os foliões. “Esse carnaval está muito animado. Dá para as crianças se divertirem com tranqüilidade”, opinou Silvane.

Quem também fez a festa foi a vendedora ambulante Érica de Souza, 23 anos. Das 30 caixas do spray de espuma compradas para os quatro dias de folia, 24 foram vendidas. “Está saindo bastante. Vendi uns R$ 600”, comemorou.

O Galinho inspirou reencontros. As irmãs gaúchas Lisiane Kaempf, 29, e Luciana Gastal, 34, não passavam o carnaval juntas há 10 anos. Para matar a saudade, a estudante Lisiane veio de Porto Alegre (RS) e combinou com Luciana, moradora da capital há 3 anos, o encontro no carnaval de Brasília. As duas chamavam a atenção pelas fantasias coloridas. “Está super divertido. Gostei de ver as crianças aqui. Geralmente carnaval é festa de adulto”, afirmou a advogada Luciana.



Mangueira já está na Sapucaí
Enviado por Carlos Honorato em 28/02/2006 00:36:33


Com muita emoção e empolgando o público, a Mangueira, a verde-e-rosa, já está na avenida com o o enredo "Das águas do Velho Chico nasce um rio de esperança", sobre o Rio São Francisco. Os principais trunfos da escola são a comissão de frente, a bateria e o intérprete do samba, Jamelão.



Tribunal de Londres investiga 'O Código Da Vinci'
Enviado por Carlos Honorato em 27/02/2006 21:29:41


LONDRES - O escritor americano Dan Brown, cujo livro "O Código Da Vinci" já vendeu mais de 30 milhões de cópias, responderá a acusações de historiadores britânicos de que ele teria roubado suas idéias para escrever o romance, em um julgamento que terá início nesta segunda-feira em um tribunal superior britânico.

Os historiadores Michael Baigent e Richard Leigh processam a editora Random Brown, pois acusam Brown de ter plagiado toda a conspiração de "The Holy Blood and the Holy Grail" livro de não-ficção que lançaram em 1982. A teoria apresentada pelo livro de Baigent e Leigh é a de que Jesus casou-se com Maria Madalena e ambos tiveram um filho cujos descendentes vivem até hoje.

Os historiadores processaram a Random House, que também publicou seu livro, por violação de propriedade intelectual. Traduzido para mais de 40 idiomas, O Código Da Vinci, lançado em 2004, conta a história de como a Igreja Católica tentou suprimir o conhecimento dos descendentes de Jesus. O julgamento deverá levar duas semanas, se não houver um acordo entre as partes.

AFP



Imperatriz desfila liberdade
Enviado por Carlos Honorato em 27/02/2006 03:30:24

De O Globo

Sem empolgar, mas tecnicamente perfeita. Assim foi mais uma vez o desfile da Imperatriz de Rosa Magalhães, terceira escola a desfilar, já na madrugada de hoje, no Sambódromo. A escola de Ramos levou para a avenida o enredo “Um por todos e todos por um” para narrar a história, contada pelo escritor Alexandre Dumas, da passagem pela América do Sul de Giuseppe Garibaldi, italiano que lutou pela liberdade no Brasil. O desfile teve luxo, belezas e fantasias impecavelmente detalhadas.

O ator Murilo Rosa foi Garibaldi na avenida. Outros personagens dos livros de Dumas, como “O Conde de Monte Cristo”, “O homem da máscara de ferro” e “Os três mosqueteiros” também foram apresentados.

Alguns destaques enfrentaram problemas: Verônica, porta-bandeira, desfilou reclamando das penas de sua fantasia. Como choveu pouco antes de a escola entrar, acabou pesando e algumas penas pareciam desbotadas. Luciana Gimenez, rainha da bateria, também parecia enfrentar dificuldades com a roupa: disse que o adereço da cabeça estava apertando demais, mas manteve o charme e recebeu aplausos de Maradona quando passou em frente ao camarote da Brahma.

A bateria de mestre Jorjão, um dos destaques, teve 20 ritmistas a mais e três coreografias em paradas alternadas.

Primeira escola a desfilar ontem no Grupo Especial, o Salgueiro fez todos os corações na Sapucaí baterem no mesmo ritmo — o do mestre Marcão. Os ritmistas faziam paradinhas e imitavam os batimentos cardíacos, emocionando o público. O enredo científico levado pela vermelho-e-branco foi “Microcosmos: o que os olhos não vêem o coração sente”, inspirado num documentário sobre a vida dos pequenos animais.

O Salgueiro entrou na avenida às 21h05m, com cinco minutos de atraso. Além da bateria, outro destaque foi a atriz Luana Piovani. Na guerra particular com a atriz Carol Castro, rainha da bateria, a loura levou a melhor e foi aplaudida.

No início do desfile, uma confusão quase tirou o brilho do Salgueiro. Em seu primeiro ano no Sambódromo depois das mortes do pai, Waldomiro Paes Garcia, o Miro, e do irmão, Waldemir Paes Garcia, o Maninho, o atual patrono da escola, Alcebíades Paes Garcia, o Bide, de 49 anos, impediu que os jornalistas chegassem perto dos 15 integrantes da comissão de frente, que se apresentaram como estivessem tecendo uma teia de aranha.

Três problemas podem custar pontos à escola: no abre-alas o filme que reproduzia cenas da vida não funcionou direito; em outro carro, alguns destaques desfilaram sem chapéus; e o último carro desacoplou.



< Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | Próximo >
117 registros

Edição:


Sem frase

Sem enquetes no momento.

Sem broncas

Enviar bronca
MP3 Player


Iniciar sessao