Carregando...
 
 
Brasília-DF, 01 de Maio de 2010. Ano 6
Hoje
MAIO/2010
D S T Q Q S S
1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31
Total de 33219 notícias
ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
PSDB define futuro
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 17:02:21

 A polêmica aliança entre o PSDB e o PSC, do ex-governador Joaquim Roriz,  poderá ser definida amanhã, durante uma reunião entre o presidente regional tucano, Márcio Machado, e o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra. Ninguém aposta num possível desfecho, mas a conversa será no sentido de definir qual caminho os tucanos deverão tomar no DF.


ELEIÇÕES 2010 - GOIÁS
Serpes mostra Marconi com 4,4 pontos de vantagem sobre Iris
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 16:56:05

Carlos Eduardo Reche, de O Popular

O senador Marconi Perillo (PSDB) aumentou para 4,4 pontos porcentuais a vantagem sobre o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB) na corrida pelo governo estadual, mostra a última rodada da pesquisa Serpes/O POPULAR, realizada entre os dias 22 e 27 de maio. O tucano aparece com 45% das intenções de votos, diante de 40,6% do ex-prefeito de Goiânia. Na rodada anterior, publicada em 15 de abril, Marconi aparecia com 43,7% e Iris, com 39,9% das intenções.

O candidato do PR, Vanderlan Cardoso, ex-prefeito de Senador Canedo, aparece com 4,4% das intenções de voto na rodada atual, diante de 3,7% registrados na pesquisa anterior. Nas últimas posições aparecem Ênio Tatico (PRP), com 1,3% das menções, Washington Fraga (PSOL), com 0,9%, e Santana Pires (PRTB), que na semana passada retirou a pré-candidatura, com 0,6%.

O Serpes ouviu 1.001 eleitores em todas as regiões do Estado. A margem de erro da pesquisa é de 3,1 pontos porcentuais, para mais ou para menos. Os eleitores que afirmam que votariam em branco ou nulo eram 4,4% e agora somam 2,4%. Na rodada anterior, 7,2% dos eleitores se diziam indecisos, índice que caiu para 4,9% dos entrevistados na pesquisa atual.

Variações

Tanto Marconi quanto Iris cresceram dentro da margem de erro, mas a distância entre os dois, que na rodada anterior era de 3,8 pontos porcentuais, está agora em 4,4 pontos. Apesar disso, o índice alcançado pelo tucano não é suficiente para uma vitória no primeiro turno (3 de outubro), já que, para isso, ele teria de ter mais intenções de voto do que as de todos os seus adversários somadas. Assim, os números indicam que a disputa pelo Palácio das Esmeraldas continua polarizada entre o tucano e o peemedebista. Ambos já foram governadores por duas vezes e está será a segunda vez que se enfrentam. A primeira foi em 1998, quando Marconi, então deputado federal, derrotou o à época senador peemedebista.

O crescimento de Vanderlan, de 0,7 ponto porcentual, também se deu dentro da margem de erro. O pré-candidato do PR é apoiado pelo governador Alcides Rodrigues (PP). O pepista se elegeu em 2006 com o apoio de Marconi, então candidato ao Senado, mas PSDB e PP romperam após as eleições e, no final de março, Alcides lançou Vanderlan.

Na divisão da pesquisa por sexo, faixa etária e nível de escolaridade, Marconi está mais bem posicionado entre as eleitoras (52,1% das intenções, diante de 37,6% entre os eleitores do sexo masculino) e com ensino médio (49,8%). Nas faixas de idade, as intenções de voto do tucano têm poucas variações: vão de 43,8% entre os entrevistados com 60 anos de idade ou mais e chegam a 45,5% entre os eleitores que têm entre 35 e 44 anos de idade.

No caso de Iris Rezende, a recepção é maior entre o eleitorado do sexo masculino (48,4% a 33,1%) e com menor nível de instrução (44,2% entre os que têm ensino fundamental). O desempenho do pré-candidato peemedebista também é melhor entre os eleitores mais velhos. Ele têm 43% das intenções entre os eleitores com 60 anos ou mais e 43,2% entre aqueles de 45 a 59 anos de idade.

Disputa acirrada no 2º turno

A disputa entre o senador Marconi Perillo (PSDB) e o ex-prefeito Iris Rezende (PMDB) também é acirrada na simulação de segundo turno entre os dois pré-candidatos, mostra a última rodada da pesquisa Serpes/O POPULAR, realizada entre os dias 22 e 27de maio. Segundo os números, o tucano venceria o peemedebista, mas com vantagem ainda menor que a da simulação do 1º turno: 48,3% a 44,4% das intenções, diferença de 3,9 pontos porcentuais.

Os eleitores que disseram indecisos somam 4,4% e os que afirmaram que votariam em branco ou nulo, 3%. A margem de erro da pesquisa, que entrevistou 1.001 eleitores, é de 3,1 pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Na divisão da pesquisa por regiões, Iris vence Marconi em Goiânia (55,7% a 37,6%), no Centro (53,3% a 41,9%) e no Norte do Estado (50,5% a 43,6%). Já o tucano ganha do peemedebista nas outras quatro regiões. São elas o Entorno do Distrito Federal (57,4% a 25,4%), na Região Sul (60% a 38,2%), no Sudoeste (58,2% a 35,5%) e no Noroeste de Goiás (51,2% a 42,5% das intenções).

Vanderlan

Iris venceria a eleição se a disputa de segundo turno fosse contra Vanderlan Cardoso (PR). O ex-prefeito de Goiânia obtém 69,2% das intenções, diante de 14% do ex-prefeito de Senador Canedo. Os eleitores que afirmam que votarão em branco ou nulo somam 8,5% e outros 8,3% não responderam.

Em caso de segundo turno entre Marconi e Vanderlan, o tucano vence o republicano por 70,5% a 15%, afirma a pesquisa. Os eleitores indecisos somam 8,2% dos entrevistados e os que afirmam que anulariam o voto, 6,3%.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Pesquisa Exata: Cristovam lidera com folga corrida ao Senado
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 16:10:01

O senador Cristovam Buarque (PDT) lidera com folga a corrida ao Senado com 42,6%, segundo a pesquisa do Instituto Exata Opinião Pública. O percentual é semelhante ao da pesquisa realizada em abril.

Confira os números:


Cristovam Buarque – 42,6%
Maria de Lourdes Abadia (PSDB) – 22,9%
Tadeu Filippelli (PMDB) – 16,6%
Rodrigo Rollemberg (PSB) – 14,2%
Jofran Frejat (PR) – 14,2%
Robson Rodovalho (PP) – 10,2%
Alberto Fraga (DEM) – 9,7%
Gim Argello (PTB) – 7,4%


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Pesquisa Exata: Fraga é a novidade com 10,4%
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 15:58:41

O deputado federal Alberto Fraga (DEM) é a grande novidade da corrida eleitoral ao Buriti da nova rodada de pesquisas do Instituto Exata Opinião Pública, publicada hoje pelo Jornal de Brasília. Registrada no TRE-DF sob o número 13.663/2010, a pesquisa mostra uma certa estagnação dos votos dos dois lideres da corrida eleitoral, o ex-governador Joaquim Roriz (PSC) e o ex-ministro Agnelo Queiroz (PT) em relação a pesquisa realizada em abril. Só que Roriz ainda lidera em todos os cenários.

A pesquisa ouviu 3.020 eleitores entre os dias 24 e 27 deste mês. A margem de erro é de 2,5% para mais ou para menos.

Confira os números:

Simulação 1


Joaquim Roriz – 35,1%
Agnelo Queiroz – 25,7%
Alberto Fraga – 10,4%
Toninho do PSOL – 2,9%
Indecisos – 13,4%
Nulos – 12,5%

Simulação 2

Joaquim Roriz – 36,8
Agnelo Queiroz – 25,7%
Tadeu Filippelli – 6,0%
Toninho do PSOL – 2,6%
Indecisos – 16,8%
Nulos – 12,2%

Simulação 3

Joaquim Roriz – 36,8%
Agnelo Queiroz – 25,7%
Gim Argello – 6,2%
Toninho do PSOL – 2,6%
Indecisos – 16,8%
Nulos – 11,9%

 

Simulação 4 - Segundo turno

Joaquim Roriz (PSC) - 42,4%

Agnelo Queiroz (PT) - 40,05%

Indecisos - 7,1%

Nulos - 9,9%


OPERAÇÃO CAIXA DE PANDORA - DISTRITO FEDERAL
De bolsa e armário cheios
Enviado por Carlos Honorato em 31/05/2010 08:51:18

Lilian Tahan, do Correio Braziliense

O resultado das buscas realizadas pela Polícia Federal durante a Operação Caixa de Pandora indica que na bolsa de deputada Eurides Brito não tem miséria. Anda sempre recheada. Alguns dos itens apreendidos pelos policiais em novembro do ano passado e em poder da PF para análise foram maços totalizando R$ 9,8 mil, guardados dentro da bolsa da parlamentar afastada. Imagens obtidas pelo Correio foram registradas pelos agentes, que também descobriram na época o lugar onde a política estocava dinheiro vivo.

O cantinho de Eurides é o maleiro do closet no quarto da deputada. No lugar, a PF encontrou uma caixa metálica cheia de dinheiro, notas de R$ 50 e R$ 100 e dólares. Ao todo, os delegados recolheram do esconderijo R$ 84 mil, além de US$ 9 mil. A bolsa de Eurides — de outro modelo daquela em que a então candidata guardou os maços entregues por Durval Barbosa em 2006 — também virou objeto de interesse dos investigadores. Nela, estavam guardados 98 cédulas de R$ 100, segundo o item nº 12 do auto de apreensão da PF.

Os valores foram encaminhados para o Instituto Nacional de Criminalística (INC) para perícia. O objetivo da polícia e do Ministério Público é conhecer a origem do dinheiro, comparando, por exemplo, se os valores coincidem com notas marcadas pela PF no contexto da Operação Caixa de Pandora. A relatora do processo por quebra de decoro parlamentar contra Eurides, Érika Kokay (PT), pediu acesso aos laudos do INC sobre o material encontrado na casa da deputada afastada. O resultado dessas análises, porém, não foi encaminhado à petista antes de ela recomendar a cassação da distrital do PMDB. O parecer — que já passou pela Comissão de Ética — está na Comissão de Justiça e Cidadania da Câmara Legislativa e deve seguir para votação em plenário.

Agenda
A Polícia Federal apreendeu na casa de Eurides um total de 18 itens. Um deles é uma agenda de 2007, ano em que José Roberto Arruda assumiu o GDF, onde há anotações de valores feitas à mão. O título do registro é retiradas. A coluna da esquerda está numerada de um a 13 e mostra, supostamente, compromissos financeiros. A coluna da direita indica os valores. Café da manhã e faixas — R$ 10 mil; Dia das Mães — R$ 10 mil; carro — R$ 30 mil; pagamento de gasolina — R$ 5 mil. O nome de Eurides aparece três vezes, em duas delas (com valores de R$ 15 mil) especificado que se trata da campanha. A última menção a Eurides vem apenas acompanhada do valor — R$ 5 mil. Confira a reprodução da agenda ao lado.

Na análise dos dados retirados da casa de Eurides, a PF conclui que, na página da agenda referente a 17 de dezembro de 2007, estão relacionadas várias retiradas, inclusive destinadas ao senhor Odécio, a quem a Polícia acredita que “provavelmente seja Odécio Rossafa Garcia, assessor técnico da Centcooop”, a Central de Cooperativas de Materiais Recicláveis do DF. Ao lado do item 12 dessas anotações, está escrita palavra dólares na coluna da esquerda e 10 mil na coluna da direita. Os valores descritos como retiradas, somados, chegam a R$ 133 mil.

Em outro documento, separado em saldo e dívidas, mas sem indicar a que os valores estão ligados, há a inscrição feita em máquina registradora de 93.665 e 1.272 na coluna de dívidas e onde se lê saldo de “290.000 e 100.000”. Dos 18 itens apreendidos, em apenas quatro “após a análise, não se encontrou relevância com o foco da investigação”, segundo a PF. Os demais foram considerados suspeitos no contexto da Caixa de Pandora, que apura suposto esquema de corrupção envolvendo a cúpula do governo passado, distritais e empresários.

O Correio tentou falar com Eurides Brito ontem, por meio de sua assessoria, mas não conseguiu fazer o contato.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Sindicatos reagem contra declarações petistas
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 08:44:49

Os dois sindicatos com maior representatividade da Polícia Civil do Distrito Federal também rechaçaram as “acusações” feitas pelo pré-candidato petista ao GDF. Em nota, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Wellington Luiz, afirma que Agnelo acusa de forma detestável e injustificável os servidores da instituição policial. “A Polícia Civil do Distrito
Federal sempre foi reconhecida por sua imparcialidade na condução de investigações que buscam a evidência da verdade em seu bojo, doa a quem doer”, afirma.

Wellington resume como “erro estratégico” a forma com que o candidato se refere ao Ministério Público e à Polícia Civil. “Para tais enfermidades políticas, o silêncio e a humildade ainda continuam sendo o melhor remédio”, diz o texto. O presidente do Sinpol adiantou que já fez uma consulta ao departamento jurídico da entidade para procurar medidas judiciais cabíveis para sanar a ferida aberta com as acusações.

Presidente do Sindicato dos Delegados, Mauro Cezar Lima rebateu o texto de Agnelo , o qual definiu como “leviano” e “infeliz”. “A polícia nunca usou as investigações para prejudicar ou apoiar alguém do cenário político. Criou-se uma crise desnecessária contra a Polícia Civil, que sempre atuou de forma independente e responsável. O investigador não pode e não vai escolher quem será investigado”, afirmou.

Mauro Cezar afirma que há cinco anos tramita no Congresso Nacional o projeto da Lei Orgânica da Polícia Civil que, entre outros pontos, dará maior autonomia e liberdade de investigação aos policiais. “Por isso, defendo que sejamos uma polícia de Estado e não uma polícia de Governo”, sustenta.

Procurado pela reportagem, o pré-candidato petista ao Palácio do Buriti, Agnelo Queiroz, passou praticamente o dia inteiro sem atender as ligações no celular. Até o fechamento desta edição, o petista não foi localizado para comentar a repercussão da nota divulgada no sábado. Dentro do PT, o clima é de instabilidade. Alguns aliados de Agnelo temem que a má repercussão do caso resulte na inviabilidade eleitoral do petista para concorrer ao Buriti em outubro. Informações de O Distrital.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Denúncias contra Agnelo abrem crise na Polícia Civil
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 08:37:54

Caio Barbieri, do jornal O Distrital

Uma nota oficial assinada pelo diretório regional do Partido dos Trabalhadores e pelo pré-candidato petista ao Buriti, Agnelo Queiroz, despertou a fúria de representantes, principalmente da Polícia Civil do Distrito Federal. O texto, divulgado no site do partido, é uma resposta às denúncias publicadas pela revista Época desta semana, sobre opossível envolvimento de Agnelo em esquemas de corrupção e de desvio de recursos públicos
do Ministério dos Esportes.

Em tom carregado, a nota faz ataques à polícia e ao Ministério Público e coloca em xeque a credibilidade dos agentes públicos ao conduzirem o processo de investigação na batizada Operação Shaolin. “O que está em curso nos intestinos da Polícia Civil do Distrito Federal, e que conta com a anuência de facção do Ministério Público do Distrito
Federal, é um procedimento de destruição de reputações que guarda similaridade a atos de barbárie cometidos pelos fascistas”, afirma um trecho do documento.

De acordo com o comunicado petista, a investigação tem finalidade política e acusa as instituições de terem sofrido poder de influência de José Roberto Arruda, exgovernador do Distrito Federal acusado de corrupção, mas que teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral por infidelidade partidária.

Em outra parte do texto, Agnelo e os integrantes do diretório petista afirmam que a operação Shaolin “é um procedimento investigatório ilegal e clandestino, produzido sob o patrocínio de agentes públicos incompetentes, mas domesticados e adestrados por interesses subalternos para alcançar resultados manipulados, em claro desafio à Constituição Federal”. Ainda segundo a nota, o objetivo da investigação seria de interromper a ascensão
de Agnelo Queiroz nas pesquisas de intenção de voto para governador.

As declarações petistas irritaram representantes das categorias policiais. Ex-diretor da Polícia Civil do DF, o deputado federal Laerte Bessa (PSC-DF) afirmou que as declarações petistas são “irresponsáveis” e “inconsequentes”. “O précandidato petista precisa ter cuidado com o que fala. Como delegado, sei que todos os bandidos sempre criticam a polícia. Eles não gostam de polícia.

O comportamento do pré-candidato parece não estar muito diferente dos meliantes”, ironizou o deputado federal Laerte Bessa (PSC-DF). Delegado aposentado, Bessa condenou a estratégia petista ao afirmar que a Polícia Civil “jamais se curvou para proteger políticos desonestos, sejam eles de partidos de situação ou oposição”. Outro parlamentar que se incomodou com as declarações do Partido dos Trabalhadores foi o deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF). Mesmo sendo coronel da Polícia Militar, Fraga disparou severas críticas.


ELEIÇÕES 2010
Por voto, vale até apoio constrangedor
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 08:30:36

A cerca de quatro meses das eleições, os dois principais pré-candidatos à Presidência, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), têm um ponto em comum: as alianças nacionais e regionais "envergonhadas". São aqueles apoios constrangedores, mas necessários para a caminhada eleitoral. Dilma já distribuiu afagos ao ex-governador do Rio Anthony Garotinho, pré-candidato do PR ao governo. Parte do PT não gostou e outra respaldou.

Garotinho e sua mulher, a ex-governadora Rosinha Matheus, são investigados por suposto envolvimento em corrupção, como o uso de ONGs para desvio de dinheiro público, entre outras suspeitas. Na quinta-feira, o casal foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio por abuso do poder econômico e uso indevido de meio de comunicação nas eleições de 2008. Se a decisão for confirmada, eles ficarão inelegíveis até 2011. Mesmo assim, Dilma quer os votos de Garotinho, embora caminhe para um apoio oficial à reeleição de Sérgio Cabral (PMDB).

Do Rio surge outro apoio incômodo, mas importante para José Serra: o do deputado cassado Roberto Jefferson, presidente do PTB. Ele denunciou o mensalão do PT, em 2005, e acabou sendo cassado por envolvimento no escândalo de distribuição de propinas. Agora, declarou apoio a Serra. Esteve no lançamento de sua pré-candidatura em Brasília.

Em Alagoas, Dilma tem um aliado de peso político, que recentemente foi alvo de diversos escândalos. O senador - e candidato à reeleição - Renan Calheiros (PMDB-AL) foi acusado de manter ligação com o lobista de uma grande empreiteira para custear despesas pessoais.

No mesmo Estado, Dilma não deve jogar fora a chance de subir no palanque do senador e ex-presidente Fernando Collor, pré-candidato a governador. Em 1992, ele deixou antes do tempo o mesmo palácio que Dilma quer ocupar a partir de 2011.

Quando se dirige ao Norte, a candidata do PT se depara com Jader Barbalho (PMDB), um "neoamigo" do comando petista. Preso em 2002 por ligação com esquema de corrupção na extinta Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), Jader quer ser candidato a governador. E já ofereceu a Dilma o seu palanque.

Fronteira. "É ingenuidade imaginar que só se trabalha com pessoas de bem na política. A questão é saber o limite dessas companhias", avalia o deputado tucano Gustavo Fruet (PR).

Seu colega de Câmara, Flávio Dino (PC do B-MA), aliado de Dilma, diz que é preciso estabelecer, de alguma maneira, o limite. "Não se pode imaginar critérios normativos para os políticos. O importante é ter noção de fronteira. A fronteira, no meu caso, é saber o programa do candidato."

Pré-candidato ao governo do Maranhão, Dino é adversário dos Sarney. Mas sabe que corre o risco de subir com eles no palanque de Dilma (ver box abaixo).

No centro de sua chapa presidencial, o tucano terá de conviver com um fantasma que pode assombrá-lo na corrida eleitoral: o esquema de corrupção no Distrito Federal, batizado de "mensalão do DEM". Eram do DEM o ex-governador (José Roberto Arruda) e o vice (Paulo Octávio), investigados em Brasília.

Sem palanque no DF, Serra recebeu a oferta do apoio do ex-governador Joaquim Roriz (PSC), que responde a denúncias de corrupção, mas é favorito nas pesquisas. Roriz, aliás, esteve recentemente com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em São Paulo. Até agora, nenhum tucano de alta plumagem desprezou o seu palanque. Infomaçõs do Estadão.


DISTRITO FEDERAL
Governo quer reduzir áreas de embaixadas
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 08:25:38

Helena Mader, do Correio Braziliense

Uma das áreas mais nobres do Plano Piloto tem 56% de seus terrenos vazios ou com baixa utilização. Os setores de embaixadas Sul e Norte, nas quadras 800, foram criados para abrigar as sedes de representações diplomáticas mas, meio século depois da inauguração de Brasília, muitos países ainda não ocuparam lotes na região. Diante da ociosidade desses espaços, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) quer debater a mudança de destinação dos terrenos para permitir outros usos, como a criação de empreendimentos imobiliários. Já tem até um projeto para liberar uma área para a construção de hotéis. O Ministério das Relações Exteriores (MRE) é contra a medida e defende que esses setores continuem de uso exclusivo dos diplomatas estrangeiros. Hoje, 114 nações têm representação em Brasília, mas apenas 54 estão instaladas na região destinada a abrigá-las.

O Setor de Embaixadas Sul tem 62 lotes, dos quais 32 estão ocupados e 18, vazios. Além disso, 12 imóveis têm baixa utilização ou seja, as construções ocupam um percentual muito baixo do espaço total. Já no Setor de Embaixadas Norte, o percentual de áreas ociosas é ainda maior. Dos 31 lotes, nove estão em uso atualmente, 15 permanecem vagos e sete têm subutilização. Os terrenos destinados às representações diplomáticas são muito grandes para a média brasiliense e têm pelo menos 25 mil metros quadrados — o equivalente a 2,5 campos oficiais de futebol. A Terracap também quer reduzir os imóveis doados para 2,5 mil metros quadrados.

A área vazia que a Terracap planejar desafetar fica no Setor de Embaixadas Norte, próximo ao Iate Clube. Quatro hotéis de luxo seriam erguidos no espaço, que hoje não é subdividido nem tem lotes registrados em cartório. A ideia da empresa é oferecer parte da área para a criação de terrenos de 2,5 mil metros quadrados para embaixadas e destinar o restante a futuros negócios. “Cada um desses hotéis poderia ter até 200 leitos. A criação desses empreendimentos seria importante para a cidade, já que vamos abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014”, explica o gerente de Formatação de Novos Empreendimentos, Valdo César. “Com os recursos arrecadados, o governo poderá construir uma via ligando o Setor de Embaixadas Norte à W3, uma obra viária importante”, acrescenta.

Pelo projeto original de Brasília e de acordo com a legislação atualmente em vigência, os terrenos dessa região são de uso exclusivo de representações diplomáticas. Os países interessados em estruturar sua embaixada no Brasil devem pedir a cessão de uma área ao Itamaraty, que então entra em contato com a Terracap e com a Secretaria de Patrimônio da União. Ao fim das negociações, o MRE providencia a transferência do lote para o outro Estado. Atualmente, não há prazo para ocupação dos imóveis doados nos setores de embaixadas Sul e Norte.

Alto preço
Localizados no centro de Brasília, ao lado da Esplanada dos Ministérios, os terrenos destinados às representações estrangeiras seriam disputados pelo mercado imobiliário, caso houvesse mudanças na lei para autorizar a licitação e posterior ocupação. Especialistas não têm estimativa do valor que o lote poderia alcançar antes da definição das regras de uso. Mas nos prédios de escritórios e consultórios médicos localizados na L2 Sul, vizinhos ao Setor de Embaixadas, o metro quadrado custa entre R$ 6 mil e R$ 8 mil.

O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), Adalberto Valadão, afirma que o interesse entre os empresários por essa região seria enorme. Ele acredita que, se aprovada a construção de outros empreendimentos na área, o preço do metro quadrado construído seria semelhante aos dos imóveis negociados na L2 Sul. “O uso dos lotes dos setores de embaixadas seria bom para o governo e para a população. Os cidadãos pagaram pela construção da infraestrutura dessa região, os impostos foram usados para fazer vias, redes de água e iluminação, mas os terrenos não são usados”, diz Adalberto.

Ele destaca que é possível fazer empreendimentos nesses setores sem colocar em risco a segurança das embaixadas. “Seria adequado destinar para escritórios ou alguns tipos de comércio, por exemplo, o que não criaria problema para as embaixadas. Muito pelo contrário, esses diplomatas não têm hoje nenhum tipo de serviço à disposição nas proximidades”, justifica o presidente da Ademi.

O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis, Hermes Rodrigues de Alcântara Filho, concorda que a procura por terrenos na região seria alta. “A localização é muito nobre e esses lotes teriam uma liquidez muito grande”, analisa. Mas ele não acredita na mudança de destinação da área: “Está no plano original da cidade que aquele setor só pode ser ocupado por embaixadas. Acho que novos empreendimentos não serão bem-vindos pelos estrangeiros que vivem ali”.

Hoje, 60 das 114 representações de países instaladas no Brasil se localizam fora dos setores de embaixada — a maioria no Lago Sul. Muitos embaixadores e diplomatas preferem alugar mansões para criar a sua missão diplomática por conta da proximidade com áreas comerciais e oferta de serviços. Além disso, os aluguéis acabam saindo mais em conta do que construir na terra doada.

O QUE DIZ A LEI
De acordo com a Lei nº 6.294/1975, a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) fica autorizada a doar imóvel a Estado com o qual o Brasil mantenha relações diplomáticas para o estabelecimento de sua missão, desde que o donatário faça doação de imóvel à República Federativa do Brasil para instalar missão diplomática brasileira na capital da país em questão. Caberá ao Ministério das Relações Exteriores entabular as negociações necessárias a fim de assegurar que a transação se cumpra de forma válida e em conformidade com os interesses da União.


FUTEBOL
Zico é o novo diretor de futebol do Flamengo
Enviado por Da Redação em 31/05/2010 00:20:57

O sonho da torcida do Flamengo se tornou realidade. O ex-craque Zico, maior ídolo do clube, anunciou neste domingo, no Twitter e em seu site oficial, que será o próximo diretor de futebol rubro-negro, remunerado com recursos dos patrocinadores do clube. O convite foi aceito após uma reunião de três horas de duração com a presidente do Fla, Patrícia Amorim, no CFZ.

- É um grande desafio pela frente. A meta é profissionalizar o futebol do Flamengo, concluir o CT, dar melhores condições ao time e elevar o nome do clube como uma referência. Eu já tinha vontade de ficar no Brasil e colaborar. Conversei muito tempo com a Patrícia, temos muito trabalho pela frente e minha única exigência era não ser remunerado pelo clube - disse Zico em seu site oficial.

De acordo com o colunista do GLOBO Renato Maurício Prado, que conversou com a presidente Patrícia Amorim, caberá a Zico todo o planejamento estratégico do clube a partir de agora, passando a ser o responsável, inclusive, pela escolha do técnico e dos futuros reforços. O eterno camisa 10 rubro-negro assumirá o cargo oficialmente terça-feira.

Patrícia Amorim comemorou o ‘reforço‘ fora de campo:

- Estou muito feliz. A nação rubro-negra merecia essa contratação de peso. Ninguém melhor do que o Zico para comandar o futebol. Ele vem para tocar um projeto. A formação de jogadores da base é uma das nossas principais metas - comentou.

Demitido no fim de janeiro do Olympiacos, da Grécia, Zico voltou ao Brasil e decidiu interromper temporariamente a carreira de treinador fora do país para ficar mais tempo com a família. Foi a deixa para a reaproximação com o Flamengo. Em março, ele firmou uma parceria entre o CFZ e o clube da Gávea, mas disse que não se imaginava trabalhando como técnico do rubro-negro. No entanto, deixou aberta a possibilidade de ser dirigente ‘no futuro‘. Informações de O Globo.


OPERAÇÃO HARÉM
PF investiga prostituição de garotas de TV
Enviado por Da Redação em 30/05/2010 18:23:34

FLÁVIO FERREIRA, DA FOLHA DE S.PAULO

O cliente do Paraná liga e diz que quer sair com "alguém consagrado". A agenciadora cita os nomes de uma modelo, de uma dançarina de um programa de TV, de uma ex-capa de revista masculina. E lista os preços: R$ 6.000, R$ 4.000...Em outra ligação, uma famosa assistente de palco de TV relata a uma agenciadora detalhes do programa que lhe rendeu R$ 10 mil.Diálogos interceptados pela Polícia Federal mostram que uma rede de prostituição de luxo, descoberta em uma operação de 2009, intitulada Harém, cooptou modelos, atrizes e dançarinas de programas de TV, oferecendo cachês de até R$ 20 mil.

A Operação Harém chegou a ser divulgada pela PF no ano passado, mas agora a Folha teve acesso às escutas que mostram detalhes do filão mais lucrativo da quadrilha: o das "famosas" da TV e de revistas. E também de seus principais clientes: políticos, empresários e jogadores de futebol.

Em uma das gravações, um agenciador diz que um governador está interessado em uma dançarina de um programa de TV. Outra aliciadora diz que não seria possível, pois ela estava "namorando um playboyzinho".

Em outra escuta, uma paulista que já posou várias vezes para revistas masculinas e é destaque de escolas de samba foi enviada à França pelo grupo para atender a um jogador de futebol francês. Ganhou R$ 6.000.

O preço mais alto discutido pelos agenciadores grampeados pelos agentes da Polícia Federal foi de cerca de R$ 20 mil. Eles negociaram uma a noite com uma mulher casada e com filhos.
Nas escutas, os aliciadores citam também muitas mulheres que consideram impossíveis ou difíceis de serem cooptadas pela rede de prostituição de luxo.

INVESTIGAÇÃO

Das 12 mulheres indicadas como testemunhas de acusação pelo Ministério Público, três frequentam as telas da TV e duas já foram capa de revistas masculinas.O caso da modelo que foi para França foi usado nos relatórios da PF para comprovar que os aliciadores cometeram crimes de tráfico internacional de pessoas para exploração sexual.

De acordo com a PF, o esquema era liderado por Yzamak Amaro da Silva, conhecido como "Mazinho", e Luiz Carlos Oliveira Machado, o "Luiz da Paulista".Ao todo, 11 pessoas foram denunciadas à Justiça por quatro crimes ligados à exploração da prostituição, além de formação de quadrilha. As penas podem chegar a 26 anos de prisão.

O processo criminal do caso está na fase de depoimento de testemunhas.Como a prostituição não é crime, nem as garotas nem os clientes foram denunciados, e a Folha decidiu não publicar seus nomes.


Futebol
Corinthians vence o Santos por 4 a 2
Enviado por Da Redação em 30/05/2010 18:13:18

Mistério e polêmica cercavam o clássico deste domingo, 30, no Pacaembu. Com a bola rolando, o Corinthians levou a melhor sobre o Santos, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Jorge Henrique, Bruno César, Ralf e Paulinho construíram o 4 a 2. André e Marcel marcaram para o time visitante. Com o resultado, o Corinthians mantém a liderança da competição, com 13 pontos. O time da Vila Belmiro soma 8.

Durante a semana, Mano Menezes não quis revelar o time que levaria à campo. Ainda assim, atendeu a torcida e colocou Jorge Henrique no time titular. Além do atacante, o meia Bruno César - que garantiu o empate contra o Grêmio Prudente logo na sua estreia, logo no seu primeiro lance - foi a outra surpresa. E ambos os jogadores corresponderam. (AE)


OPERAÇÃO CAIXA DE PANDORA - DISTRITO FEDERAL
Sujeira no esquema de limpeza
Enviado por Carlos Honorato em 30/05/2010 13:44:38

Carlos Carone, do Jornal de Brasília

Muitos documentos, grandes quantias em dinheiro e dezenas de textos e gravações foram apreendidas durante o cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão nas casas, gabinetes e escritórias das pessoas investigadas pela Polícia Federal na Operação Caixa de Pandora. Muitas provas ainda estão sendo analisadas, mas já foi feita a análise de boa parte do material apreendido. Há muitos documentos que comprometem políticos que faziam parte da base aliada do então governador José Roberto Arruda.

O Jornal de Brasília teve acesso completo a todos os laudos elaborados pelos agentes que estiveram em cada um dos pontos que foram alvo da operação. Algumas apreensões resultaram na abertura de inquéritos paralelos, como ocorreu com a descoberta do que pode ser esquema de pagamento de propina a pessoas ligadas ao Serviço de Ajardinamento e Limpeza Urbana do Distrito Federal (Belacap).

Os policiais federais acharam no gabinete de Fábio Simão, à época chefe de Gabinete do governador , um arquivo de áudio com um diálogo gravado entre duas pessoas, das quais um homem e uma mulher. A conversa tem como assunto principal o repasse de dinheiro da empresa Qualix, que teria como seu principal dirigente um ex-diretor do Sebrae e criador de cavalos, acostumado a vir para o DF distribuir propina a servidores da Belacap.

AGENDA DO PATRÃO

A mulher que aparece no áudio foi identificada pela PF apenas como "Dominga". A mulher em questão seria uma auxiliar de serviços gerais que depois passou a ser secretária do criador de cavalos, sendo contratada pela Qualix. Desde então, "Dominga" passou a comandar a agenda do patrão.

A mando do chefe, a mulher manteria contatos frequentes com senadores, como o líder do DEM no Senado, José Agripino (RN), e o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). O ex-governador Joaquim Roriz (PSC) também teria tido muitos contatos com a secretária. Havia época em os telefonemas eram muito frequentes, tanto de dia quanto durante a noite.


Dinheiro em caixas

De acordo com as gravações apreendidas pela Polícia Federal, quando a Qualix estava para receber valores de contratos da Belacap, os telefonemas se intensificariam e ocorreriam durante dia e noite. Ainda de acordo com a gravação, o homem que estava à frente do pagamento contataria um doleiro identificado como Fayed Antoine Traboulsi, para saber quando ele poderia entregar o dinheiro, que seria repassados em dólares e reais. Na análise do auto de apreensão feita pelos policiais federais no gabinete de Fábio Simão, ex-chefe de Gabinete do governador Arruda, a mídia com a gravação ainda indica que o ato ligando a Qualix à Belacap, seria um contrato vinculado a licitação comum, que se renova automaticamente desde os dois ultimos mandatos de Roriz.

A propina seria repassada nas entrequadras de Brasília ou no Restaurante Piantella. O dinheiro era acondicionado em caixas de arquivo feitas de papelão e colocadas nos porta-malas dos carros e, depois, repassadas para as pessoas que faziam parte do esquema. Quem entregaria o dinheiro seria o próprio criador de cavalos que exercia cargo na Qualix. Cada caixa seria entregue com cerca de R$ 50 mil.

O áudio apreendido pela Polícia Federal ainda aponta que outro diretor da Qualix em Brasília, Pedro Gonzales Campoamor, e Roberto Medeiros, da Qualix em São Paulo, também receberiam a propina. "Dominga" cita na gravação que os recursos que eram distribuidos passavam por agências bancárias no Setor Comercial Sul.

"Dominga" ainda revela que o homem responsável pelo esquema mora em São Paulo, e quando vem à Brasília fica hopedado no Hotel Meliá, mas chegou a alugar uma casa no Lago Sul para promover reuniões mais privadas. Houve até assalto na residência alugada, mas a Qualix sequer registrou ocorrência policial.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
PMDB pode repetir 2006
Enviado por Carlos Honorato em 30/05/2010 09:37:45

Uma avaliação curiosa feita por um peemedebista sobre o fato do partido ter indicado o presidente  Tadeu Filippelli como o nome para uma futura composição para as eleições de outubro. Ele diz que nas eleições de 2006, Filippelli ficou com Maria de Lourdes Abadia (PSDB) e o resto do PMDB debandou para apoiar o candidato José Roberto Arruda. A previsão é que aconteça a mesma coisa nas próximas eleições. Só que o preferido agora pode ser o ex-governador Joaquim Roriz, candidato do PSC ao GDF.


ELEIÇÕES 2010
Rosso é o melhor nome do PMDB
Enviado por Carlos Honorato em 30/05/2010 08:26:18

Qual melhor nome do PMDB para ser vice na chapa do PT-DF
Rogério Rosso
51.85 % (337)
Ivelise Longhi
21.54 % (140)
Tadeu Filippelli
17.23 % (112)
Benício Tavares
6.31 % (41)
Divino Alves
3.08 % (20)

Total de votos: 650



< Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | Próximo >
418 registros

Edição:


Sem frase

Sem enquetes no momento.

Sem broncas

Enviar bronca
MP3 Player


Iniciar sessao