Carregando...
 
 
Brasília-DF, 01 de Agosto de 2010. Ano 6
Hoje
AGOSTO/2010
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31
Total de 33219 notícias
ELEIÇÕES 2010
Justiça Eleitoral diz que propaganda de Serra pode usar imagens de Lula
Da redação em 31/08/2010 20:27:28

O plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) arquivou nesta terça-feira (31) duas representações da coligação da candidata Dilma Rousseff (PT) à Presidência contra a coligação de José Serra (PSDB) pelo uso da imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na propaganda tucana.

Os petistas pediam o impedimento do uso da imagem de Lula nas próximas propagandas, pois a aparição iria contra uma lei que proíbe a participação de pessoas filiadas a outros partidos no programa de determinada legenda. O presidente é filiado ao PT e não poderia, portanto, aparecer na propaganda do PSDB.
 
De acordo com entendimento da maioria dos ministros, Lula não participou da propaganda, pois ele não gravou voluntariamente sua aparição no programa – foi usada uma imagem de arquivo em que Lula aparece ao lado de Serra. De acordo com o relator das representações, ministro Henrique Neves, “não deve ser criado o monopólio do elogio”.

Acompanharam o voto do relator os ministros Marco Aurélio Mello, Hamilton Carvalhido e Arnaldo Versiani. Contra o uso da imagem de Lula, votaram o presidente do tribunal, Ricardo Lewandowski, e os ministros Aldir Passarinho e Carmen Lúcia.

Antes do julgamento do mérito da questão, os ministros decidiram sobre a competência da coligação de Dilma para pedir a punição. Henrique Neves havia arquivado as representações afirmando que somente Lula poderia propô-las. Os petistas recorreram, e Neves mudou seu voto, no que foi seguido pela maioria dos ministros. Informações do R7.


Concert for George
My sweet Lord
Enviado por Carlos Honorato em 31/08/2010 20:15:00


Gostaria de sugerir que comprem o DVD Concert for George, que conta com as participações de Eric Clapton, Paul McCartney, Ringo Starr, Jeff Lynne, Milly Preston, Ravi Shankar entre outros. No tracklisting encontramos as grandes obras de George Harrison interpretadas pelos monstros sagrados, sucessos inesqueciveis como: "Taxman" com Tom Petty & The Heartbreaker, "Something"and "While My Guitar Gently Weeps" nas vozes de Sir Paul McCartney e Eric Clapton, "Here Comes The Sun" na voz de Joe Brown, "My sweet Lord" cantada por Billy Preston entre outras.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Julgamento de Roriz reúne manifestantes no TSE
Da redação em 31/08/2010 20:11:45

Cerca de 50 apoiadores do candidato a governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PSC), entraram em conflito com menos de dez opositores nesta terça-feira, na porta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Polícia Militar está tendo dificuldades para conter a multidão. Alguns dos manifestantes pró-Roriz furaram o bloqueio da PM e tomaram uma faixa do grupo adversário em que se lia "Queremos ver os vídeos do Roriz". Trata-se de uma referência aos vídeos que expuseram o ex-governador José Roberto Arruda e aliados em flagrantes de corrupção e culminaram com a queda do seu governo

Ainda nesta terça-feira, a Corte vai decidir se Roriz pode ou não registrar sua candidatura. No dia 4 de agosto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) vetou a participação do político na disputa deste ano com base na Lei da Ficha Limpa.

Nesta terça, o TSE vai julgar um recurso apresentado pelo candidato. A oposição chegou ao tribunal com um caixão e foi barrada pelos rorizistas. A Polícia Militar interferiu para evitar o conflito. Ninguém saiu ferido, mas os opositores desistiram do protesto e foram embora. Neste momento, os manifestantes pró-Roriz agitam bandeiras na frente do TSE e entoam gritos de ordem em favor do candidato. Informações de O Globo.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
PTB está com Maria de Lourdes
Da redação em 31/08/2010 17:42:31

A candidata ao Senado pela coligação liderada pelo ex-governador Joaquim Roriz (PSC-DF),  a tucana Maria de Lourdes Abadia,  recebeu o apoio declarado de parte do PTB-DF em reunião realizada no Lago Norte há poucos dias. A decisão foi referendada pelo presidente nacional da legenda, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, famoso por ter denunciado o mensalão do PT no Congresso Nacional que esteve no encontro. O anfitrião, Ricardo Marques, candidato à Câmara Federal, foi enfático em dizer que para o Senado vai de 1,2,3, e 4,5, 6, a sequência ideal para o DF, ou seja,Cristovam Buarque e Abadia. Marques é da coligação  de Agnelo Queiroz (PT). A matéria é exclusiva do Jornal DF-Hoje, que circulará amanhã trazendo todos os detalhes do apoio do PTB à Maria de Lourdes Abadia.


ELEIÇÕES 2010 - GOIÁS
Candidatos trocam acusações durante debate na internet
Da redação em 31/08/2010 17:35:58

Durante o primeiro debate online com os três principais candidatos ao governo de Goiás realizado nesta terça-feira (31), os ânimos ficaram exaltados. Promovido pelo jornal O Popular, de Goiânia, o encontro - transmitido apenas pela internet, para assinantes do jornal - entre Marconi Perillo (PSDB), Iris Rezende (PMDB) e Vanderlan Cardoso foi, de longe, o mais acalorado de todos os debates que os reuniu até agora nesta campanha.

Dividido em três blocos, o programa em meio virtual começou morno, com os candidatos respondendo questões formuladas por internautas e leitores do jornal, recolhidas nos últimos 15 dias. Neste bloco, o tema infraestrutura dominou, com destaque para o setor energético e a falência da Companhia Energética de Goiás (Celg).

Foi no segundo bloco, porém, que o clima esquentou, com as perguntas feitas de candidato para candidato. Rezende provocou Perillo sobre a futura relação com o governo federal. O tucano é desafeto político do presidente Lula e do partido da candidata à sucessão dele, Dilma Rousseff (PT). "Esperamos que o próximo presidente seja chefe de Estado, e não de partido", respondeu Perillo, admitindo que tem divergências "pontuais" com Lula, em razão de tê-lo avisado da existência do mensalão e da votação contrária à extinta CPMF. O tucano ressaltou que pretende colaborar com o presidente, seja ele quem for e de qualquer sigla.

Em seguida, Rezende criticou as obras e projetos que Perillo teria deixado inacabadas no governo, como o Centro Cultural Oscar Niemeyer e o metrô de superfície em Goiânia. "O senhor recebeu muitos recursos do governo federal", apontou. Marconi disse que não conseguiu fazer mais obras porque recebeu o Estado "com a maior dívida externa do Brasil", se referindo aos governos do PMDB.

Líder nas pesquisas, Perillo, que foi o principal alvo, ao questionar o candidato do PR, Vanderlan Cardoso, aproveitou para criticar a administração do atual governador, Alcides Rodrigues (PP), antigo aliado seu. Ele o chamou durante o programa de "governador mais incompetente da história de Goiás". Marconi acusou Vanderlan, o candidato que Alcides apoia, de ser incoerente, ao defender hoje um governo que já criticou no passado. Marconi também criticou o fato de Vanderlan pertencer ao partido de um presidente (Sandro Mabel, PR) que foi pivô do mensalão e de "falsos dossiês", se referindo a documento incriminatório que o deputado teria forjado contra ele, tema de matéria da revista Veja desta semana.

"Meu partido não tem só santo, assim como o do senhor. Admiro o governador e tenho minha independência", respondeu o candidato do PR, lembrando obras inacabadas de Marconi durante o mandato dele no governo do Estado. "O candidato não tem viajado pelo Estado", provocou o republicano, criticando duplicações de rodovias anunciadas e não executadas, segundo ele, pelo tucano, quando governador.

Neste ponto, Marconi se irritou e disse fora do microfone, por muitas vezes e em tom agressivo, que o que se alegava não era verdade, apesar das advertências do mediador.

Posteriormente, Perillo chamou Vanderlan de "candidato chapa-branca" e disse que o governo usa a máquina para cooptar prefeitos e "ganhar a eleição na marra". Vanderlan, ex-prefeito de Senador Canedo, retrucou dizendo que o ex-governador é quem faz pressões. "Vejam no interior quem tem mais estrutura de campanha, vejam quantos prefeitos me apoiam e quantos o (Perillo) apoiam", declarou.

Já no final do bloco, Perillo voltou a criticar Iris Rezende. Perillo chamou o peemedebista de "exterminador de programas sociais". Iris rebateu dizendo que Perillo promete, mas não cumpre, e citou a não construção de 240 mil casas prometidas no primeiro mandato do candidato do PSDB. "O senhor é um exterminador de (infra) estrutura", rebateu Iris, incluindo as reformas administrativas que o tucano promoveu em sua crítica. Para o peemedebista, os governos do PSDB "enganaram o povo e querem enganar de novo".

No terceiro bloco, respondendo a perguntas de jornalistas, Marconi Perillo foi questionado sobre o projeto de trem bala entre Goiânia e Brasília, discutido em 2004, mas não implementado. Marconi respondeu que o trem bala era uma ideia do ex-governador Joaquim Roriz (DF), e que ele preferia a instalação de outro tipo de linha férrea, voltada mais para passageiros. Neste bloco, Iris foi questionado sobre a falta de articulação política e consequente briga com vereadores da Câmara Municipal que o teriam feito abandonar o projeto de implantar as subprefeituras em Goiânia, quando prefeito. "Não houve isso, recuamos por causa da crise (econômica) mundial", justificou. Vanderlan, por sua vez, foi questionado sobre a negociação mais importante que o governo estadual, que representa no pleito, atualmente trabalha: a renegociação da dívida da Celg junto a Eletrobrás. "Isso é assunto de governo. A pergunta deveria ter sido feita ao governador Alcides", desconversou.

No final do debate, Iris fez novas acusações a Perillo, citando de novo "o promete mas não faz" dos governos tucanos. "Depois ainda dizem que fizeram governos extraordinários", disse.

Já Vanderlan Cardoso provocou gargalhadas ao usar o bom humor para atacar indiretamente os adversários. "Aqui (no debate), vimos os exterminadores do passado. E exterminadores do presente. E, se forem eleitos, vamos ter os exterminadores do futuro", pontuou, se colocando como candidato "diferente" de Iris e Marconi. Informações do Terra.


FUTEBOL
Robinho fecha contrato de quatro anos com o Milan
Da redação em 31/08/2010 15:00:39

O Milan, que já conta com os atacantes Alexandre Pato e Ronaldinho Gaúcho, disse que contratou o jogador em definitivo junto ao Manchester City, da Inglaterra. O contrato é de quatro anos.Nesta terça-feira, Robinho viajou da Inglaterra para a Itália para fazer exames e acertar detalhes de seu contrato com o clube italiano. No Manchester, ele fora descartado de todas as partidas da equipe na temporada 2010/2011.

No primeiro semestre, o jogador defendeu por empréstimo o Santos, onde ganhou os títulos do Paulista e da Copa do Brasil. Ainda defendeu a seleção brasileira, que foi eliminada nas quartas de final da Copa do Mundo na África do Sul.

Robinho inicialmente era considerado uma espécie de plano B da diretoria rubro-negra, que tinha Zlatan Ibrahimovic como prioridade para o ataque. Mas, mesmo depois da contratação do atacante sueco do Barcelona, o clube insistiu no brasileiro.

O Milan estreou com goleada no Campeonato Italiano. O 4 a 0 sobre o Lecce, no domingo, foi marcado por boas atuações dos brasileiros Ronaldinho e Alexandre Pato, autor de dois gols. Informações da Folha.com


ELEIÇÕES 2010
Alunos dos Colégios Marista debatem com presidenciáveis
Da redação em 31/08/2010 14:56:36

A exatos 30 dias das eleições, na sexta-feira, 3 de setembro, os candidatos à Presidência da República têm um encontro marcado com a juventude brasileira. A União Marista do Brasil (UMBRASIL) realizará um debate nacional inédito entre os presidenciáveis e os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio dos Colégios e Unidades Sociais Maristas, presentes em 24 Estados e no Distrito Federal. O encontro será realizado no Colégio Marista de Ensino Médio (Maristão), em Brasília, das 15h às 17h, e contará com a participação direta de cerca de sete mil alunos entre 14 e 18 anos, jovens e futuros eleitores.

Foram convidados os quatro candidatos com maior número de intenções de voto – Dilma Roussef (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio Arruda (PSOL) – segundo pesquisa IBOPE, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 31 de maio de 2010, sob o número 13642/2010. Até o momento, está confirmada a participação da candidata Marina Silva. 

O tema central do encontro será Juventude, a ser dividido em seis blocos temáticos: Estatuto da Juventude, Trabalho, Educação, Violência, Drogas, Sustentabilidade/Ecologia. A interatividade com alunos de todo o país será realizada por videoconferência, com transmissão simultânea via internet, por meio de link com todas as unidades maristas no Brasil, o que deverá envolver aproximadamente 120 mil alunos de toda a rede de ensino, da Educação Básica ao Ensino Superior. 

O Debate Marista Presidenciáveis 2010 prevê que cada candidato possa, individualmente, apresentar e discutir suas propostas diretamente com os educandos, não havendo intervenção entre os presidenciáveis. Serão concedidos cinco minutos iniciais de apresentação e, em seguida, o candidato responderá as perguntas dos alunos presentes no auditório e nas salas de videoconferência dos colégios. As perguntas sobre os temas acima serão sorteadas na hora e divididas entre os candidatos participantes, o que deverá totalizar 24 intervenções. Ao final, o candidato terá mais cinco minutos para finalizar suas propostas para a juventude.

As perguntas, feitas exclusivamente por alunos dos Colégios, são o resultado de um processo formativo que teve início na sala de aula, onde houve discussão e reflexão sobre os temas do debate, a partir do ponto de vista e do cotidiano dos alunos, dando sentido e valorizando a sua participação no processo democrático do país. O senso crítico foi exercitado, de forma que até mesmo a ausência dos candidatos convidados possa ser um convite à reflexão sobre a importância que o postulante ao cargo de Presidente da República deverá dar à juventude, caso seja eleito. Participarão do debate tanto os alunos dos colégios pagos quanto dos gratuitos e das Unidades Sociais Maristas em todo o país. 

Com o Debate Marista Presidenciáveis 2010, a União Marista do Brasil pretende despertar nos jovens alunos a importância da participação e do engajamento da juventude no processo político brasileiro. “Nossa intenção é oportunizar aos alunos um debate produtivo e instigá-los a participarem das discussões sobre o futuro do nosso país. Pela primeira vez esses jovens eleitores poderão debater, frente a frente, com os candidatos, num verdadeiro exercício de democracia, de cidadania e de amadurecimento e compromisso com o voto consciente”, explicou o diretor-presidente da UMBRASIL, Ir.Arlindo Corrent.

Coordenado pela União Marista do Brasil – pessoa jurídica de direito privado, constituída sob a forma de associação de fins não econômicos e de caráter filantrópico, religioso, assistencial, educacional, cultural e esportivo, o Debate Marista Presidenciáveis 2010 mobilizou todas as instâncias administrativas do Brasil Marista: Distrito da Amazônia, Província Marista Rio Grande do Sul, Província Marista Brasil Centro-Sul e Província Marista Brasil Centro-Norte, que tomou a iniciativa do projeto.

Serviço:
 
Pauta: Debate Marista Presidenciáveis 2010 - Encontro dos presidenciáveis com alunos dos colégios Marista do Brasil.

Dia/Hora: Próxima sexta-feira, dia 3 de setembro, das 15h às 17h.

Local: Colégio Marista de Ensino Médio (Maristão), localizado na 615 sul, avenida L2, Brasília-DF.

Formato: Debate ao vivo e por videoconferência, com transmissão via internet.

Público participante: Toda a rede Marista do Brasil, totalizando 120 mil alunos (Educação Básica e Ensino Superior), além dos pais e cerca de 26 mil colaboradores.


DISTRITO FEDERAL
Jardim Botânico celebra aniversário
Da redação em 31/08/2010 14:52:13

O Setor Habitacional Jardim Botânico está em festa. Nesta quarta-feira (1°), os 50 mil moradores celebrarão os seis anos de existência do local. Apresentação da banda da Polícia Militar (PMDF), uma missa solene e um show musical marcarão a data. Além de possuir uma grande área verde, a XXVII região administrativa do Distrito Federal é conhecida pela qualidade de vida que proporciona aos moradores. Ao todo, a cidade possui 52 condomínios horizontais.

A busca por uma vida mais tranquila levou a estudante Jaqueline Sacramento, 28 anos, para o setor habitacional. Moradora de Águas Claras há 8 anos, Jaqueline acaba de alugar uma casa e pretende, em breve, constituir uma família no local. “Fugi dos congestionamentos, moro próximo à natureza. A qualidade de vida do Jardim Botânico é incomparável”, explicou.

Segundo o administrador regional do Setor Habitacional Jardim Botânico, Luiz Carlos Dantas, a autonomia administrativa conquistada há seis anos trouxe uma série de benfeitorias para a localidade. Ele cita como exemplo a restauração do trecho asfáltico entre o trevo da Escola de Administração Fazendária (Esaf) até o trevo da DF-140, que dá acesso a São Sebastião. “O asfalto estava deteriorado e irregular, facilitando a ocorrência de acidentes. Com a reforma, a segurança aumentou”, disse.

A duplicação das pistas que vão do balão da ponte JK até o balão de acesso a São Sebastião, proporcionou uma série de melhorias. A intervenção separou as duas vias e levou mais segurança para os motoristas que trafegam no local. A iluminação pública da pista, com a instalação de postes do balão da Esaf até o balão da ponte JK, também já foi concluída.

Facilidades

Atualmente, o comércio do setor atende perfeitamente a comunidade local. São padarias, supermercados, farmácias e lojas que comercializam os mais diversos produtos. No Shopping Jardim Botânico, inclusive, é possível encontrar diversas lojas de roupas. “Os moradores não precisam sair do Jardim Botânico para comprar em outras regiões. Nosso comércio está fortalecido e oferece alternativas múltiplas aos consumidores do setor”, reforçou o administrador.

Para comemorar o sexto aniversário da região, uma festa está sendo organizada para todos moradores. Uma missa solene, um baile e a apresentação da banda da Polícia Militar (PMDF) fazem parte da programação. “Queremos reunir os moradores para comemorar esta data tão importante”, afirmou Luiz Carlos Dantas.

Regularizações

A regularização de condomínios é considerada, hoje, uma das maiores conquistas do local. O Setor Habitacional Jardim Botânico conta com 52 condomínios verticais. Destes, já foram regularizados os conjuntos J e H do Condomínio Estância Jardim Botânica, os Jardins do Lago, Mansões Califórnia, Morada de Deus, Portal do Lago Sul, San Diego, Santa Mônica, Chapéu de Pedra e Privê Residencial Mônaco.

Em maio último, o governador Rogério Rosso assinou as primeiras regularizações de seu governo. Os moradores do Condomínio Verde, por exemplo, conquistaram as escrituras das terras, no total de 1.650 lotes. Naquela ocasião, Rosso afirmou que a regularização era um compromisso do governo.

De acordo com o administrador, a terceira etapa do Setor Habitacional Jardim Botânico oferecerá mais opções para os moradores da região. O espaço, que ainda se encontra em fase de planejamento, conta com 600 lotes residenciais e 200 comerciais. “Serão construídas escolas publicas, praças, posto de saúde e policial, além de campo de grama sintética, ginásio poliesportivo e órgãos públicos”, disse.

História
O Decreto 20.881 de 1999 criou o Setor Habitacional Jardim Botânico. Três anos mais tarde, em 2002, o Governo do Distrito Federal, por meio da Lei nº 2.786, criou a Gerência da Região dos Condomínios, ligada à Administração Regional do Lago Sul. Em 2004, pela Lei 3.435, a Região Administrativa XXVII foi oficialmente constituída.

A Região Administrativa engloba duas áreas: parte de São Bartolomeu e os condomínios do Jardim Botânico. A poligonal ainda está em fase de estudos e definições. Informações da Agência Brasília.

Programação da festa:
 
Quarta-feira (1º), a partir das 9h:
- Missa Campal na Paróquia Santa Clara e São Francisco

- Presença do Hemocentro na cidade, para doação de sangue

- Chegada do Fogo Simbólico

- Apresentação da Banda da PMDF

- Apresentação de cães adestrados

Sexta-feira (10 de setembro), às 21h:
- Baile com a Banda Mesh in ville na Estação da Bola, no Altiplano Leste.


ELEIÇÕES 2010 - DISTRITO FEDERAL
Roriz quer revogar o PDOT
Da redação em 31/08/2010 10:49:38

O candidato Joaquim Roriz (PSC-DF) prometeu, caso seja eleito governador, revogar o Plano Diretor de Ordenamento Territorial do DF (PDOT). A promessa foi feita hoje durante entrevista a rádio CBN. Roriz disse que tomará a medida, caso haja condições legais. Ele acredita que houve irregularidades.

A intenção de Roriz de revogar o ato do ex-governador José Roberto Arruda segue o mesmo caminho do MPDFT que no início do mês apresentou recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal com o objetivo de anular o inteiro teor da Lei Complementar 803/2009, que promoveu a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal (PDOT).

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, no julgamento de ação direta de inconstitucionalidade (2009.00.2.017552-9), considerou inconstitucionais somente alguns dispositivos da lei, mantendo em vigor outras disposições.

No recurso apresentado ao STF, o MPDFT aponta a violação do princípio constitucional da separação dos poderes, gerado pela exorbitância do poder de emenda parlamentar. Isso porque o projeto original foi alterado por centenas de emendas parlamentares, com a inclusão de novas áreas e setores habitacionais, com aumento de despesa. Também houve a inclusão de matérias sem pertinência temática com o projeto, que deveriam constar somente da Lei de Uso e Ocupação.


MÚSICA
Diana Krall confirma shows em Brasília, São Paulo e Rio
Da redação em 31/08/2010 09:42:02

 Quatro shows, dois em São Paulo, um em Brasília e um no Rio de Janeiro marcam o retorno da grande artista do jazz contemporâneo ao País, com o álbum que ela diz “sussurrar ao ouvido”. A turnê “Quiet Nights” contempla 13 países, entre eles o Brasil, agora em setembro. São Paulo, dias 13 e 14 de setembro, no HSBC Brasil; Brasília, dia 18, no Teatro Oi Brasília; e Rio de Janeiro, dia 20, no Teatro Oi Casa Grande, são as cidades que vão conferir o charme, sofisticação e boa música de Diana Krall, que representa com propriedade a responsabilidade de ser um dos nomes mais importantes do jazz contemporâneo.

Com patrocínio da Redecard, co-patrocínio Oi e apoio da Oi Futuro e Iguatemi Empresa de Shopping Centers, Quiet Nights reproduz as menções diretas do carinho e admiração da artista canadense pela música brasileira e o Brasil.

Boa parte das músicas pode conduzir a um cenário romântico – um jantar à luz de velas, um passeio na praia ao luar. Quiet Nights, décimo segundo álbum de Diana Krall, no entanto, não tem esta finalidade. Utilizando o Brasil como ponto de referência musical, o novo trabalho da premiada pianista e cantora sugere uma noite em casa.

“Não é tímido. Não é superficial ou imaturo. Sinto que este álbum é muito feminino – como se você estivesse deitado na cama ao lado do seu amor sussurrando em seu ouvido”, explica.

Ela não está brincando. Seja na revitalizada versão de “Where or When” até a totalmente tocante versão de “You’re My Thrill”, as dez canções de Quiet Nights trazem uma desconcertante intimidade. Até mesmo aqueles que já estão familiarizados com os vocais quentes e a cadência rítmica das músicas de Diana Krall – e atualmente são milhões de pessoas – serão tomados de surpresa pelo quanto a música leva, abertamente, a um clima de doce entrega. “É um álbum sensual, francamente erótico e foi feito para ser assim”, resume a artista.

Krall é a primeira a creditar ao time musical que ela reuniu – seu leal quarteto, o grande produtor Tommy LiPuma, o engenheiro de som Al Schmitt e também o lendário arranjador Claus Ogerman – por grande parte do poder sedutor de Quiet Nights. Mas existe um profundo e palpável senso de maturidade que ela trouxe para a gravação também. “A maioria do que canto e toco no álbum é realmente o primeiro ou segundo take. ‘You’re my thrill’ foi um segundo take – ‘Too Marvelous’, foi de primeira.”

“Ela está completamente madura”, diz Tommy LiPuma, que a conhece muito bem, tendo trabalhado pela primeira vez com Krall em 1994. “Mesmo nos últimos anos, ela tem abordado seu fraseado vocal muito mais como uma instrumentista do que como uma cantora. Na sua leitura das letras e no timbre de sua voz, está muito mais sentimental, como Peggy Lee em sua época madura.”

Da mesma forma, o foco brasileiro no novo disco não poderia ser mais natural. “Há muito tempo que ela tem uma grande simpatia pela música brasileira”, apontou LiPuma. “Quando fizemos “The Look of Love’, estávamos muito atraídos pela Bossa Nova. Quiet Nights é uma verdadeira homenagem a esta música. Diana canta três clássicos brasileiros, transforma ritmicamente quatro standards em Bossa Nova, e três baladas. Portanto, das dez canções do álbum, sete são Bossa Nova.”

Faz sentido que Quiet Nights (também é o nome em inglês do clássico da Bossa Nova “Corcovado”, faixa-título do CD) tire muito de seu espírito musical da terra que põe o “carnal” na sua celebração anual do Carnaval. “Eu fui inspirada a fazer essa gravação por causa da minha viagem ao Brasil no ano passado”, explica a artista, que retornou ao Rio de Janeiro para filmar o concerto para lançamento de um novo DVD. “Aí continuei voltando e percebi que onde quer que você vá ainda ouve os sons de Jobim e da Bossa Nova.”

Claus Ogerman foi o arranjador de muitos trabalhos da primeira leva do movimento Bossa Nova, tendo gravado com grandes nomes como Tom Jobim, João Gilberto, Frank Sinatra, Stan Getz e Bill Evans. O fato dele ter deixado sua semi-aposentadoria em Munique traduz muito do respeito – e prazer – que tem em trabalhar com Diana Krall.

“Acho que Claus verdadeiramente se apaixonou por ela de primeira”, comenta LiPuma, que os apresentou em 2000. Os arranjos de Ogerman em Quiet Nights adicionam espantoso nível de sofisticação ao clima do disco. O desafio foi encontrar abordagem inovadora e atraente em um território familiar. “Ele enfatizou os acordes menores – ligeiramente mais melancólicos em alguns pontos, como em ‘Quiet Nights’.”

A artista diz que, de uma maneira que satisfaria a mais pura sensibilidade para o jazz, Quiet Nights foi concebido a partir da banda – no sentido de que cada música começasse como uma performance do quarteto, composto pelos parceiros de longa data, o guitarrista Anthony Wilson, o baixista John Clayton e o baterista Jeff Hamilton. Quiet Nights, resume Diana Krall, além da Bossa Nova e do Brasil, “é minha carta de amor ao meu marido, um íntimo e romântico álbum”.

Berço musical

Aos 43 anos, Diana Krall tem a experiência a seu favor. Nascida em Nanaimo, Canadá, numa família musical – seu pai era um pianista adepto do estilo stride e um dedicado colecionador de discos –cresceu absorvendo a música que guiaria sua evolução musical. Ela frequentou a escola de música Berklee no início dos anos 80 e então mudou-se para Los Angeles, onde continuou os estudos com os baixistas Ray Brown e John Clayton, o baterista Jeff Hamilton e o pianista Jimmy Rowles, que a incentivou a cantar também. Em 1990, Krall voltou a Nova York e começou a se apresentar com um trio e, em 1993, lançou seu disco de estréia com uma pequena gravadora canadense independente.

Quinze anos depois, ela pode olhar para trás e ver uma carreira solidificada: em 1999, contratada pela Verve, sua carreira explodiu quando When I look in your eyes ganhou o GRAMMY® de melhor vocal de jazz e tornou-se o primeiro disco de jazz indicado para Álbum do ano em 25 anos.

Em 2002, The Look of Love foi o disco mais vendido nos EUA e faturou cinco discos de platina no Canadá. Em 2004, The Girl in the Other Room foi seu primeiro trabalho focado em composições próprias (com seis músicas parceria com seu marido Elvis Costello); Christmas Songs, em 2005, foi um dos mais vendidos da temporada; e em 2006, From This Moment On foi um feliz e decisivo sucesso que coincidiu com o nascimento dos seus filhos gêmeos – um acontecimento de afirmação de vida que LiPuma entende que aumentou o continuo crescimento de Diana como musicista. “A maternidade definitivamente tem a ver com ela, tal como o casamento. Eu penso que ela realmente se encontrou.”


DISTRITO FEDERAL
Duplicação da DF-079 melhora o trânsito
Da redação em 31/08/2010 09:35:27

As obras de restauração e duplicação da DF-079, utilizada pelos moradores de locais como Águas Claras, Vicente Pires, Park Way, Arniqueiras e Núcleo Bandeirante, estão em sua reta final. De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), somente as etapas de sinalização e urbanização ainda não foram concluídas.

Diariamente, cerca de 110 mil veículos transitam pela rodovia. As obras, realizadas com um investimento total de R$ 20 milhões, foram iniciadas em março do ano passado. Logo após o balão que dá acesso à cidade de Águas Claras e ao Park Way, foram duplicados seis quilômetros. Outros cinco quilômetros foram restaurados. Além das obras de pavimentação, também foram concluídos oito quilômetros de ciclovia.

Antes das obras, uma via de mão dupla atendia os dois sentidos. Com isso, os engarrafamentos quilométricos e os acidentes eram constantes nos horários de pico – além de atender aos moradores da região, a pista é usada pelos motoristas que saem da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) para a Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB) e vice-versa. Com a duplicação, a fluidez do trânsito melhorou, reduzindo também o índice de acidentes.

Moradora da quadra 3 do Park Way, Ana Carolina Mendes, 25 anos, utiliza a DF-079 todos os dias para ir trabalhar. “A duplicação facilitou a vida de todos os moradores da região. Já cheguei a ficar mais de uma hora presa no engarrafamento”, conta a moradora. “Com as novas vias isso não acontece mais. Outra coisa bacana é a ciclovia. Ao invés de ir para academia, pedalo cedo todos os dias.” A data de entrega das obras de sinalização e urbanização da rodovia ainda não está confirmada. Mas, segundo o DER, o processo está bastante adiantado. Informações da Agência Brasília.


Eric Clapton
Tears in Heaven
Da redação em 31/08/2010 09:21:37


ELEIÇÕES 2010
Equipe de transição terá verba de R$ 2,8 mi
Da redação em 31/08/2010 09:16:25

O presidente eleito terá uma verba de R$ 2,8 milhões e poderá contratar 50 funcionários para o governo de transição, que vai da proclamação da eleição (que em geral ocorre dois dias após o pleito) até 31 de dezembro. O custo da transição, caso o presidente seja eleito no primeiro turno, será de R$ 32,1 mil ao dia e, se eleito no segundo, de R$ 42,4 mil/dia.Ontem, o Ministério do Planejamento criou um grupo de trabalho formado por 30 servidores de vários órgãos que ficarão responsáveis por fornecer à transição as informações necessárias sobre o governo federal.

Com esses dados, será formada a "agenda dos 120 dias", com todos as medidas de curto prazo, como contratos, pagamentos a serem feitos, ações institucionais que precisam ser cumpridas. Segundo o ministro Paulo Bernardo (Planejamento), a ideia da agenda é garantir que o próximo presidente não seja surpreendido por prazos e para dar continuidade a ações em andamento. "Nosso objetivo é garantir que o presidente tenha todas as condições de dar continuidade às ações do governo." Informações da Folha.

O grupo de trabalho ficará responsável por fazer um levantamento do que foi prometido pelo presidente Lula na campanha de 2006 e comparar com o que foi realizado. O governo de transição será instalada no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil).


IMPRENSA
Última edição impressa do "JB" circula hoje
Da redação em 31/08/2010 09:13:38

A última edição impressa do "Jornal do Brasil", um dos mais antigos diários do país, circula hoje. A partir de amanhã, o jornal terá apenas uma versão on-line. Criado em abril de 1891 pelo escritor Rodolfo Dantas, o "JB" ajudou a definir os rumos da imprensa brasileira. Por sua Redação passaram jornalistas como Janio de Freitas, Marcos Sá Corrêa e Zózimo Barroso do Amaral, além de escritores que assinavam colunas regulares, a exemplo de Manuel Bandeira, Clarice Lispector e Carlos Drummond de Andrade. O jornal vivia há décadas em crise financeira, com dívidas trabalhistas crescentes e queda na circulação.

Atualmente, na gestão do empresário Nelson Tanure, que arrendou o uso da marca por 60 anos, tinha dificuldade para manter seu custo operacional (cerca de R$ 3 milhões por mês) diante da queda na circulação e de um passivo estimado em R$ 100 milhões em dívidas.Tanure já tinha feito outras incursões pela mídia. Em 2002, comprou os direitos de publicação da revista "Forbes", no Brasil, que um ano depois rompeu o contrato.Em 2003, arrendou o jornal econômico "Gazeta Mercantil", que também tinha grande passivo e deixou de funcionar no ano passado. Em 2008, o "Jornal do Brasil" tinha uma tiragem média de 95 mil exemplares diários. Este ano, caiu para 20 mil.

Tanure não quis comentar o fim da circulação. Para a versão digital, o jornal pretende manter uma equipe de 150 jornalistas e profissionais da área comercial e administrativa. Em comunicado a seus leitores, o jornal diz que se tornará o primeiro veículo 100% digital do país. A versão on-line para assinantes custará R$ 9,90 mensais.Hoje, ao meio-dia, no centro da cidade, o Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro fará um ato contra o fim da versão impressa, com a participação de ex-funcionários do "JB".

HISTÓRIA
O jornal nasceu como um veículo monarquista em pleno regime republicano. Chegou a ser empastelado no primeiro ano por sua cobertura favorável a D. Pedro 2º. Nessa época, tinha em seus quadros nomes como Joaquim Nabuco e Rui Barbosa.Em 1959, realizou uma revolucionária reforma gráfica e editorial. Além da diagramação mais limpa e moderna, passou a trazer um noticiário claro e objetivo. Informações da Folha.


ELEIÇÕES 2010
Campanha terá Lula e Dilma juntos uma vez a cada 4 dias
Da redação em 31/08/2010 09:05:21

O roteiro eleitoral traçado pela campanha de Dilma Rousseff (PT) para a reta final das eleições prevê ao menos mais dez comícios da candidata ao lado do presidente Lula a partir de amanhã. Com 11 eventos cumpridos desde o início oficial da campanha, em julho, a dupla Lula-Dilma chegará às urnas com uma média de 1 ato público conjunto a cada 4 dias. Essas ações seguem a estratégia, explorada à exaustão na TV e no rádio, de colar a imagem de Lula -cujo governo atinge aprovação de 79%- à da sua candidata.

O último evento está previsto para ser realizado na praça da Sé, centro de São Paulo, por volta do dia 28, já que os dois últimos dias possíveis para realização de comícios, 29 e 30, serão reservados à preparação para o debate na TV Globo, marcado para a noite do dia 30. Após dividirem palanque em Campo Grande, Salvador e Recife na semana passada, Lula e Dilma devem repetir a dose nesta semana no Paraná e no Rio Grande do Sul.

Até 3 de outubro, estão agendados ainda comícios em São Paulo (além do da praça da Sé), em Minas, no Rio, em Santa Catarina, no Ceará e em outro Estado do Nordeste ainda a ser definido -possivelmente Sergipe.Dilma visitará também um Estado no Norte -provavelmente o Pará-, região em que ainda não colocou os pés nesta campanha. Lula ainda não confirmou presença nesse evento, entretanto.O volume de atos públicos entre Dilma e Lula foi turbinado após o início da propaganda na TV, no último dia 17. Até então, os dois haviam participado de cinco eventos, em um período de 45 dias.

Depois, já fizeram seis comícios em duas semanas, com previsão de pelo menos mais dez em setembro. As imagens dos encontros estão sendo exploradas nos programas de TV da petista. "Esse volume não é muito, é o ideal. E é cada um em um lugar diferente. Nesta semana, por exemplo, está previsto Paraná e Canoas (RS). O Brasil é muito grande", diz o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra.

Juntando o roteiro já cumprido com o previsto pela campanha, Dilma e Lula priorizarão o Sudeste, com 11 atos públicos conjuntos, e o Sul (6), regiões que apontam as menores distância entre a petista e José Serra (PSDB), segundo a última pesquisa Datafolha -12 e 7 pontos percentuais, respectivamente. O principal Estado visitado pelos dois é São Paulo, onde só na última pesquisa apresentou vantagem para Dilma, de cinco pontos.Os gastos de Lula para participar dos eventos ao lado de Dilma têm que ser ressarcidos pelo PT. Só a participação do presidente no primeiro comício, na Cinelândia (RJ), resultou em um reembolso aos cofres públicos de R$ 58,5 mil.  Informações da Folha



< Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | Próximo >
558 registros

Edição:


Sem frase

Sem enquetes no momento.

Sem broncas

Enviar bronca
MP3 Player


Iniciar sessao