Carregando...
 
 
Brasília-DF, 01 de Setembro de 2008. Ano 4
Hoje
SETEMBRO/2008
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30
Total de 33219 notícias
DISTRITO FEDERAL
Magela rumo a 2010
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 18:10:53

O deputado Geraldo Magela já está em campanha para o governo em 2010. Na semana passada, o pré-candidato reuniu o partido para reafirmar a sua candidatura. O presidente do partido, Chico Vigilante, e o ex-ministro Agnelo Queiroz foram educadamente convidados, mas não compareceram. Vigilante diz que considera legítima a iniciativa de Magela de se apresentar como candidato. Mas observa que "ele não queria antecipar a escolha do nome para maio, mas foi voto vencido dentro do partido".

Vigilante não esconde que seu preferido para 2010 é Agnelo Queiroz. "O ex-ministro é o candidato que mais aglutina o partido e é uma pessoa que tem uma trajetória de luta muito grande no DF." Mas é cristão novo na legenda e os petistas não têm o costume de abrir vaga para recém-chegados. "O PT não vai dificultar sua escolha", aposta o presidente. Para o deputado Paulo Tadeu, a movimentação de Magela pode não vingar. "Ele pode não receber o apoio do partido", prevê. Paulo Tadeu lembra que além dos dois nomes que estão sendo discutidos dentro do PT, Geraldo Magela e Agnelo Queiroz, há Arlete Sampaio, ministra em exercício do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. “Ela disputou a eleição passada e tem todas as condições para uma nova disputa", avalia. Informações do jornal Opção.


DISTRITO FEDERAL
Arruda quer controlar o PMDB
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 18:08:25

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, consultou eminentes juristas a respeito de uma mudança de partido na bacia das almas, ali por volta de setembro de 2009. Recebeu a informação de que o DEM faria tudo para cassar seu mandato. Mas respirou aliviado ao saber que há possibilidade de trocar de partido sem perda de mandato.

Arruda gostaria (mas não sabe se é possível) de assumir o controle do PMDB em Brasília, substituindo Joaquim Roriz como líder máximo. Apesar dos salamaleques entre os dois, Arruda não suporta as pressões do vice-governador Paulo Octávio, que todo dia exige disputar o governo em 2010. Arruda gostaria de derrotá-lo nas urnas. Seria uma lição. Amigos de Arruda têm dito que ele tem o governo, mas não tem o partido, porque o DEM é controlado por Paulo Octávio. Informações do jornal Opção.



Partida entre Brasil e Portugal vai inaugurar o Bezerrão
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 15:50:27

O Bezerrão - Estádio Walmir Campelo Bezerra, no Gama - já tem inauguração marcada: dia 19 de novembro, com o jogo entre as seleções do Brasil e de Portugal. O anúncio foi feito pelo governador José Roberto Arruda, durante a abertura do Campeonato Mundial de Futsal, nesta terça-feira (30), no ginásio Nilson Nelson.

As obras no Bezerrão seguiram à risca as exigências da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para que Brasília possa se credenciar como sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. A previsão é de que o estádio esteja concluído em 30 de outubro e liberado a partir de 11 de novembro. "As duas seleções principais (Brasil e Portugal) vão se enfrentar na inauguração do estádio, que está muito bonito. Poderá haver uma pré-estréia com um jogo do Gama, pela série B", adiantou Arruda.

Outra ação para colocar Brasília à frente no credenciamento para a Copa de 2014 está a implosão do estádio Mane Garrincha. Já foi aberta uma concorrência internacional e grandes empresas do mundo analisam a implosão. O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, vê, de forma positiva, a implosão do Mané Garrincha. "Isso é muito mais uma decisão local de Brasília, do governador. Há estádios em que aconteceu isso e outros que estão sendo reformados. Mas no caso específico do trabalho que vem sendo feito em Brasília, que eu acompanhei mais de perto, tecnicamente têm sido perfeito. O projeto é muito bom", disse Teixeira.

Arruda lembrou que os estádios de Wembley, na Inglaterra e o da Luz, em Lisboa, - que substituíram os antigos depois de implosões - são arenas multiuso que não sediam apenas eventos esportivos. "Eles se completam economicamente com eventos culturais e shows artísticos e isso exige uma estrutura diferente dos antigos estádios de futebol. Nós obedeceremos às exigências da Fifa e da CBF e, obviamente, tentaremos buscar os recursos privados para tentar fazer uma arena multiuso como merece ter a capital do país", avalia Arruda.



2,5 milhões de crianças trabalham no Brasil
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 14:41:31

Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, divulgado nesta terça-feira, e baseado nos dados da PNAD 2007, do IBGE, revela que 2,5 milhões de crianças brasileiras, entre 5 e 15 anos, ou 6,6% das crianças nessa faixa etária, trabalham no Brasil. Em 2004, esse número era de 2,8 milhões.

Em relação ao trabalho e ao estudo, a análise revela que, quando estudam, as crianças de 7 a 15 anos trabalham em média 10,1 por semana, e 35,3 horas por semana quando não freqüentam a escola. Das crianças que não vão à escola, 55% exercem atividade por mais de 40 horas por semana. Quando freqüentam a escola, esse índice cai para 11%. As informações são da Jovem Pan


EL PAIS
Eleição municipal é teste para força de Lula
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 14:36:17

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrenta as eleições municipais deste domingo como uma prova a superar antes do pleito presidencial de 2010, afirma uma reportagem publicada na edição desta terça-feira do jornal espanhol "El País". "As eleições se desenham como exame da força eleitoral do carismático presidente do país, que conta com 83% da aprovação popular", diz o diário.

"Por isso, os candidatos dos 13 partidos que formam a coalizão do governo quiseram comparecer aos comícios junto com Lula ou exibir uma declaração do líder em apoio a sua candidatura". Segundo o texto, alguns candidatos da oposição, após fracassarem na busca pelo respaldo do presidente "chegaram ao extremo ridículo de contratar alguém para imitar sua voz e lhes conceder seu consentimento publicamente".

Para o jornal, as eleições servirão para saber se o Partido dos Trabalhadores (PT) vai sair com força suficiente para eleger um candidato próprio em 2010. "Um dos lugares onde esta prova será especialmente significativa é o Estado de São Paulo, que responde por 25% do Produto Interno Bruto (PIB). Geralmente, o partido que ganha as eleições em São Paulo é candidato forte nas presidenciais."

O El País destaca que as eleições municipais demonstrarão se Lula sairá suficientemente fortalecido para conseguir impor sua candidata em 2010, a atual ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef. "Isto significaria uma continuação do lulismo sem Lula. Do contrário, o poder voltará às mãos do PSDB, o que minguaria em parte o mito do carisma do presidente", afirma o jornal espanhol.



Planalto busca nos bastidores apoio de PTB a Marta
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 09:43:48

O Palácio do Planalto vai atuar nos bastidores para ajudar a candidata do PT, Marta Suplicy, a conquistar apoio de aliados no segundo turno da eleição à Prefeitura de São Paulo. Em conversas reservadas, auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitem que, se o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, não passar da primeira etapa do embate, o alvo do assédio governista será o PTB do deputado cassado Roberto Jefferson.

Embora Jefferson tenha se tornado desafeto de Lula desde que denunciou o escândalo do mensalão, em 2005, o PTB integra a base aliada do Planalto no Congresso. Além disso, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, é do PTB. Atualmente, o partido não só apóia Alckmin como tem o vice da chapa: o deputado estadual Campos Machado.

"No segundo turno, o PTB vai de Geraldo Alckmin porque é ele que estará lá", disse Jefferson, presidente nacional da legenda. Mesmo assim, o ex-deputado deixou a porta aberta para o namoro com o PT. "Tenho profunda admiração, simpatia e amizade por Marta Suplicy", completou. Impressionados com a rápida ascensão do prefeito Gilberto Kassab (DEM), que concorre à reeleição e está em guerra com Alckmin, integrantes da equipe de Marta abordaram Campos Machado no intervalo do debate da TV Record, realizado no domingo. "Passada a eleição, nossa primeira providência será marcar uma conversa com você", avisou um petista.

Secretário-geral da Executiva do PTB, Machado abriu um sorriso, mas desconversou. Mais tarde, disse não ver futuro nessa discussão. Apoiador histórico do PSDB desde o governo de Mário Covas (1995-2001), ele não esconde a antipatia por Marta, ao contrário de Jefferson. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Mendes adverte sobre risco de 'república da polícia'
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 09:15:14

O ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a advertir ontem, após conferência em São Paulo sobre os 20 anos da Constituição, para os riscos do que chamou de "república da polícia, república do juiz, do promotor". Em sua cruzada contra abusos de investigações patrocinadas por órgãos oficiais sob o manto do combate ao crime organizado e à corrupção, ele incluiu em seu libelo excessos e desobediências de comissões parlamentares de inquérito.

"Já tivemos exemplos em que havia um consórcio entre Ministério Público e um dado juiz e a partir daí se imaginava que se tinha fundado uma república. Vivemos isso em algum momento. Agora, em tempos mais recentes, temos vivido um tipo de república da polícia e também, às vezes, o consórcio com juiz e promotor."

Mendes reiterou a necessidade de enfrentar a "ditadura do grampo telefônico". "Aqui talvez seja um processo de devido controle dos principais setores envolvidos, seja o próprio Judiciário, o próprio Ministério Público, mas aí são dissintonias que não têm nenhum significado no sistema macro estrutural da Constituição. São questões que podem ser corrigidas sem nenhuma alteração constitucional. Uma mera alteração legislativa, às vezes, ou uma mera reinterpretação por parte do Judiciário já pode fazer essas correções." Ele condenou "tribunais de exceção" e as seguidas incursões de segmentos da máquina pública pela soberania.

Mendes declarou que "num Estado de Direito não há soberanos, todos estão submetidos à lei". "Quando alguém, quando algum setor começa a se autonomizar é porque estamos tendo alguma distorção no modelo de Estado de Direito", ressaltou o presidente do Supremo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Bolsas mantêm tendência de queda na Ásia e Europa
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 09:13:07

As Bolsas asiáticas e européias seguiram a tendência de queda nesta terça-feira, um dia depois da rejeição do Congresso dos Estados Unidos ao plano de resgate dos bancos. Tóquio encerrou a sessão de terça-feira em queda de 4,12%. O índice Nikkei 225 perdeu 483,75 pontos, a 11.259,86 unidades, o menor nível em mais de três anos.

Sydney caiu 4,3% e Taipé retrocedeu 3,55%. Hong Kong surpreendeu com uma alta de 0,8%, depois de ter registrado queda superior a 6% durante a sessão.Na Europa, Londres operava em leve alta de 0,27%, depois de uma queda de quase 3% nos primeiros 30 minutos de sessão. Frankfurt perdia 0,81% e Paris 0,52%, ambas em situação melhor que no início da sessão.

As autoridades russas suspenderam nesta terça-feira as cotações nos dois mercados de valores de Moscou, o RTS (em dólares) e o MICEX (em rublos), antes da abertura.A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aumentou a crise financeira mundial ao rejeitar na segunda-feira o plano de resgate do setor bancário, provocando uma queda recorde em Wall Street, onde o índice Dow Jones retrocedeu 6,71%, em uma baixa inédida de quase 800 pontos.

O Banco do Japão (BoJ, banco central) anunciou ainda nesta terça-feira a injeção de 28 bilhões de dólares no sistema bancário do país para ajudar as instituições financeiras a enfrentar a falta de liquidez gerada pela crise mundial de crédito. Da AFP.


BELÉM DO PARÁ
Caciques perdem força
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 09:08:38

Até o momento, as eleições para prefeito em Belém, capital do Pará, têm mostrado um curioso fenômeno político. Os candidatos dos partidos das duas principais lideranças políticas do estado, o ex-senador e deputado Jader Barbalho (PMDB) e a governadora Ana Júlia Carepa (PT), não conseguiram se destacar na corrida eleitoral. As últimas pesquisas eleitorais divulgadas apontam para um eventual segundo turno entre o atual prefeito e candidato à reeleição, Duciomar Costa (PTB), e a ex-vice governadora Valéria Pires Franco (DEM).

Pesquisa Ibope divulgada no sábado passado, dia 27, para a prefeitura da capital paraense mostrou Duciomar Costa com 33% das intenções de voto — um crescimento de oito pontos percentuais em relação ao levantamento anterior. Valéria Pires, que caiu dois pontos, tem 18% dos votos. No levantamento anterior, divulgado uma semanas antes, os dois candidatos estavam tecnicamente empatados, uma vez que a margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os candidatos do PT, Mário Cardoso, e do PMDB, José Priante, estão empatados nas intenções de voto, com 12% — mesmo índice registrado pela dupla na sondagem passada. Mário Cardoso é ex-secretário de Educação do governo Ana Júlia e Priante, ex-deputado federal e primo de Jader.

Arnaldo Jordy, candidato pelo PPS, caiu de 7% para 6% nas intenções. A candidata do PSol, Marinor Brito, mantém os 3% da pesquisa anterior e o delegado João Moraes, do PSL, alcançou 2% — antes não havia sequer alcançado 1%. Votos brancos e nulos somam 6%, enquanto os que não sabem ou não responderam são 8%. A pesquisa, divulgada pela TV Liberal, afiliada da TV Globo no estado, entrevistou 602 eleitores entre 23 e 26 de setembro. A pesquisa está registrada na 98ª Zona Eleitoral de Belém com o número 2214/2008. Informações do Correio Braziliense.

 



Professores em greve hoje e amanhã
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 07:47:03

 As salas de aula das escolas públicas do Distrito Federal devem ficar vazias hoje e amanhã. Os professores decidiram paralisar suas atividades por 48 horas. O ato é uma greve de advertência ao Governo do Distrito Federal e a categoria não dispensa a possibilidade de deflagar uma greve por tempo indeterminado, caso o GDF não sinalize que irá atender às exigências dos educadores. Entre as revindicações, os professores exigem a regulamentação da lei 4075/2007, que institui o plano de carreira da categoria, e o cumprimento das promessas
relacionadas ao plano de saúde,habitacional e reajuste de 19, 98% em seus contracheques, a partir de março de 2009.

Segundo a diretora do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF), Rosilene Corrêa, o sindicato tem recebido denúncias de que a Secretaria de Educação estaria ameaçando punir os professores que se ausentarem das salas de aula durante os dois dias. Para a diretora,a conduta é um contrasenso, uma vez que parte das reivindicações foram assinadas pelo próprio governador José Roberto Arruda,quando sancionou a lei que se refere ao Plano de Carreira. Informações do JB.



Pesquisa aponta aprovação recorde do governo Lula
Enviado por Da Redação em 30/09/2008 01:11:10

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu avaliação positiva recorde da população em setembro, segundo pesquisa CNI/Ibope (Confederação Nacional da Indústria-Ibope divulgada nesta segunda-feira. O governo foi considerado ótimo ou bom por 69% da população, a segunda melhor avaliação de um presidente da República desde 1982, quando teve início a série de pesquisas. A mais positiva registrada foi do governo Sarney, em 1986, com 72%.

A forma como o presidente Lula governa o país foi aprovada por 80% dos brasileiros e o índice de confiança da população no presidente foi de 73%.A pesquisa revelou ainda que o brasileiro não foi impactado pela "grave crise econômica internacional".

A mesma pesquisa revela que 52% dos eleitores escolheram seu candidato a prefeito antes mesmo do início oficial das campanhas eleitorais.A pesquisa revela também que 33% dos eleitores ainda não decidiram em quem votarão, sendo que 17% só vão escolher os candidatos no dia da votação.

O perfil ideal para um prefeito é a honestidade, com 56% das opiniões colhidas pela pesquisa CNI/Ibope, seguido da experiência política e administrativa, dos compromissos e das propostas de cada um.

A pesquisa constatou ainda que o apoio do presidente da República a candidatos foi considerado importante por apenas 8% dos eleitores, havendo peso semelhante em relação à colocação de governadores como cabo eleitoral.A prioridade apontada pela maioria dos eleitores para as próximas gestões municipais diz respeito à saúde e ao emprego, seguida de educação e do combate à pobreza, vindo depois a preocupação com a segurança pública

 



Crise americana: 'Vem aí um tsunami', diz economista
Enviado por Da Redação em 29/09/2008 19:15:08

A crise econômica americana vai impactar direto no bolso do brasileiro, contrariando o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que afirmou nesta segunda-feira que a situação é tranqüila no País. O efeito não será imediato, segundo o economista Fábio Fonseca, do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais), mas não vai demorar muito a chegar. "Se a crise se materializar, como tudo indica que irá acontecer, o peso no orçamento da população brasileira será sentido ainda neste fim de ano", garantiu Fábio.

A oscilação no mercado financeiro ganhou força após a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos reprovar nesta segunda o pacote de resgate do setor financeiro, orçado em US$ 700 bilhões. Na votação, 228 parlamentares votaram contra o plano e 205 a favor. Bolsas do mundo inteiro despencaram após o anúncio.

O clima de aversão ao risco no exterior fez a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) interromper os negócios por 30 minutos nesta segunda-feira, após cair até 10%. A bolsa paulista voltou a operar às 15h19 e as ações de muitas empresas continuaram a cair. Às 16h, as ações da Companhia Siderúrgica Nacional registravam queda de mais de 16%. As ações preferencias da Petrobras e Vale despencavam 12%. Após reabrir, a Bovespa chegou a registrar queda de 13%. O dólar fechou com alta de mais de 6%, cotado a R$ 1,97.

A crise foi classificada por Fábio Fonseca como caótica. "A situação econômica atual vai desencadear uma série de transtornos. As empresas vão deixar de investir no País, pois vão vender menos e, conseqüentemente, haverá menos emprego para o povo brasileiro", explicou o economista.

O efeito sobre o crédito é outro reflexo da crise americana, segundo ele. "As empresas que vendem a prazo vão reduzir o tempo de financiamento e aumentar o preço das parcelas".  A valorização do dólar irá contribuir para a alta de diversos produtos, alertou Fábio.

"O presidente Lula fez um desfavor à população ao minimizar a crise americana. Ele deveria ter dito que a situação é grave e que o governo brasileiro está tomando todas as providências para lidar com a questão. Mas dizer que não vai acontecer nada aqui dá a impressão de que somos uma ilha perdida no mundo", disse o economista.

O conselho para os investidores é que aguardem esse momento de turbulência passar. "O melhor a fazer é ficar quieto e esperar para ver o que vai acontecer. Qualquer decisão tomada nesse momento é precipitada. As empresas não vão deixar de existir. É melhor deixar passar um ou dois anos para agir ( comprar ou vender ações)", orientou Fábio. Informações de O Dia.



Após rejeição a pacote nos EUA, índice Dow Jones tem maior queda da história
Enviado por Da Redação em 29/09/2008 18:10:57

As Bolsas americanas despencaram nesta segunda-feira, com o Dow Jones, principal índice do mercado acionário dos Estados Unidos, registrando a maior queda em pontos já registrada: exatamente 777,68 durante o dia. O caos foi levado pela rejeição, hoje, na Casa dos Representantes (Câmara dos Deputados) do pacote de US$ 700 bilhões para salvar o setor financeiro. A decisão eleva o temor de uma paralisação dos mercados de crédito e de uma desaceleração profunda nas economias americana e mundial.

O índice Dow Jones Industrial Average, da Nyse (Bolsa de Valores de Nova York, na sigla em inglês), caiu 6,98%, fechando com 10.365,45 pontos. O recorde anterior de perda em pontos no Dow Jones era de 684,81, atingido no primeiro dia de negociações após os ataques de 11 de Setembro. Já o índice S&P 500, que reúne as 500 mais negociadas, recuou 8,79%, indo para 1.106,42 pontos. A Bolsa Nasdaq teve perda de 9,14%, fechando com 1.983,73 pontos.

As ações do banco Wachovia, que foi vendido ao Citigroup, caíram 82%. As ações de outros bancos menores, como o Sovereign Bancorp, que caíram 72%, e as do National City, que caíram 63%. As ações do Goldman Sachs e do Morgan Stanley caíram mais de 12% cada.

Fora do setor financeiro, as ações da fabricante de automóveis General Motors, as da petrolífera Chevron e as da fabricante de microchips Intel caíram mais de 10% cada. Também do setor petrolífero, as ações da Exxon Mobil caíram 8,2%; as da ConocoPhillips caíram 9,1%. No setor de tecnologia, as ações da Apple caíram 18%, maior recuo em oito anos.

No Brasil, a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) fechou com sua pior queda dos últimos nove anos, em baixa de 9,36%, aos 46.028 pontos. O dólar comercial avançou 6,21% e bateu R$ 1,966 (venda), a cotação mais alta desde setembro de 2007.

"Algo claramente precisa ser feito, e uma queda de 400 pontos em 10 minutos atesta isso", disse à agência de notícias Associated Press o presidente do Johnson Research Group, Chris Johnson.

O pacote de US$ 700 bilhões proposto pelo governo no último dia 20 foi rejeitado hoje depois de uma semana de intensas negociações. O futuro do plano do governo de salvamento das empresas financeiras agora é incerto. A Casa Branca informou estar "muito desapontada" com a rejeição e comunicou que George W. Bush vai se reunir com membros do Congresso e da equipe econômica ainda hoje para "determinar os próximos passos".

O secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, por sua vez, disse que estar desapontado pela rejeição e afirmou que irá trabalhar com o Congresso para chegar a um plano abrangente. "Precisamos de um plano que funcione, o mais rápido possível", afirmou.

No Congresso, líderes republicanos e democratas dizem que vão considerar uma revisão do projeto. O texto rejeitado hoje não pode ser reencaminhado à Câmara. Além da polêmica natural do assunto, as agendas de campanha dos congressistas podem dificultar a obtenção de quórum para uma nova votação.

Hoje, no plenário, os defensores do pacote usaram como argumento na Câmara a necessidade de tirar o país de uma recessão e de uma crise sem precedentes. Quem votou contra, por sua vez, argumentou que a aprovação do plano ocorreria por medo, o mesmo sentimento que levou o país à guerra contra o Iraque, disseram.

Após o placar que indicava a derrota, os líderes da Câmara ainda tentaram estender a votação por mais tempo, para convencer colegas do 'não' a optar pelo "sim", mas não tiveram sucesso. Segundo o "WSJ" ("Wall Street Journal"), o secretário do Tesouro, Henry Paulson, fez contato com os parlamentar via celular no esforço da aprovação.  Informações da Folha Online



Clima de ‘já ganhou’ no Rio
Enviado por Da Redação em 29/09/2008 08:21:17

O clima de ‘já ganhou’ tomou conta da campanha dos candidatos a prefeito do Rio que aparecem na frente nas pesquisas de opinião. Enquanto Marcelo Crivella (PRB) afirma que está no segundo turno, o líder isolado das sondagens, Eduardo Paes (PMDB), já é chamado de “prefeito” por seu principal aliado político e padrinho, o governador Sérgio Cabral. Os eleitores de Fernando Gabeira (PV) também estão otimistas. Ontem, ele e Paes fizeram caminhada na orla da Zona Sul. Crivella rodou por bairros da Zona Oeste.

“Todas as pesquisas apontam nossa candidatura em primeiro lugar e em crescimento. Isso mostra que as pessoas querem campanha propositiva. Por isso continuarei sendo o recordista em acordar mais cedo e dormir mais tarde”, afirmou Paes.

O candidato contou com Cabral e boa parte do primeiro escalão do governo do estado em sua caminhada do Posto 6 ao Leme. Em quase todas as declarações, o governador já se referia a Paes como prefeito. Ele também fez questão de comparar sua relação com o candidato a sua amizade com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem citou seis vezes durante entrevista.

“Da mesma maneira que eu trato o presidente da República bem, eu quero tratar do futuro prefeito do Rio bem. Quando as autoridades se entendem, quem ganha é a população, e o que acontece entre mim e o prefeito é uma relação de muito respeito, de muito companheirismo e de enorme amor pelo Rio”, afirmou Cabral. Informações de O Dia.



Acordo ortográfico
Enviado por Da Redação em 29/09/2008 08:18:59

A Academia Brasileira de Letras (ABL) realizará nesta segunda-feira uma sessão solene em homenagem ao centenário da morte do escritor Machado de Assis. O evento será realizado às 15h, no prédio da ABL, no Rio de Janeiro e terá a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante o evento, Lula assina o decreto com o cronograma de implantação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no Brasil. No final da tarde, às 17h30, o presidente segue para Manaus (AM), e janta com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. O venezuelano está no Brasil para participar de uma reunião com Lula amanhã. O presidente Lula passa a manhã em Brasília, onde se reúne com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, às 9h30. A partida para o Rio de Janeiro está prevista para as 13h. Agência Brasil



< Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | Próximo >
300 registros

Edição:


Sem frase

Sem enquetes no momento.

Sem broncas

Enviar bronca
MP3 Player


Iniciar sessao